10 de Janeiro, 2012 - 09:46 ( Brasília )

Geopolítica

Irã enriquece urânio em usina fortificada no deserto, diz ONU


O Irã está enriquecendo urânio em um usina fortificada próxima à cidade de Qom, segundo confirmação feita nesta segunda-feira pela AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) da ONU.

O governo do Irã diz que seu programa nuclear tem finalidades pacíficas e nega estar desenvolvendo armas nucleares.

A usina de Fordo já havia sido identificada por imagens de satélite por agências de inteligência ocidentais em 2009.

Teerã diz que seu programa de enriquecimento de urânio teve início em 2007, mas a AIEA acredita que tenha começado em 2006.

A usina, fortificada, foi construída no subsolo pelas Forças Armadas, tornando-se um alvo bastante difícil de ataques aereos.

A porta-voz da AIEA, Gill Tudor, disse nessa segunda-feira, por meio de nota, que a agência tem condições de "confirmar que o Irã deu início à produção de urânio enriquecido a mais de 20%".

Estreito de Ormuz

O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, voltou a reafirmar nesta segunda-feira que seu país não irá se dobrar às pressões do Ocidente.

Em um pronunciamento na TV, Khamenei disse que o Irã "sabe firmemente o que está fazendo e escolheu seu caminho e continuará no seu curso".

A tensão aumentou na região desde que os Estados Unidos anunciaram novas sanções ao Banco Central do Irã. A União Europeia também disse que poderia impor um embargo às importações de petróleo iraniano.

Khamenei disse que as novas sanções não terão "nenhum impacto na nação".

Apesar das declarações desta segunda-feira do líder supremo, o Irã ameaçou fechar o estreito de Ormuz, por onde passa 20% do comércio mundial de petróleo.

O secretário de Defesa americano, Leon Panetta, advertiu no domingo que os Estados Unidos atuariam para "reabrir o estreito", caso fosse fechado.