09 de Janeiro, 2012 - 09:28 ( Brasília )

Geopolítica

Chávez desdenha de recomendações dos EUA sobre o Irã


O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse neste domingo que "o império ianque", forma como se refere aos Estados Unidos, lhe causa risadas ao recomendar que os países evitem relacionar-se com o Irã e pediu ao líder americano, Barack Obama, que se ocupe dos problemas de seu próprio país.

"Hoje chega a Venezuela e nos honra com sua visita o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad (...) e agora, porta-vozes de lá de Washington, do Departamento de Estado da Casa Branca, andam dizendo que não é conveniente para nenhum país se aproximar do Irã... Bom, na verdade, isso me dá vontade de rir", afirmou Chávez.

O líder venezuelano, que retomou hoje seu programa dominical Aló Presidente desde a Faixa do Orinoco, maior reserva de petróleo do mundo, declarou que os EUA estão desesperados para dominar o mundo, mas reiterou que "não vão conseguir".

"Esqueça isso, Obama, dedique-se mais aos problemas de seu país que são muitos. Nós somos livres, os povos da América Latina jamais estarão presos e dominados pelo império ianque", acrescentou.

"Os iranianos desenvolveram não sei quanta tecnologia de defesa (...) e o império está tentando freá-los utilizando como desculpa o desenvolvimento da energia nuclear com fins pacíficos", comentou o chefe de Estado.

"Andam inventando que o Irã está visitando Venezuela, Cuba e Nicarágua para preparar ataques contra os EUA", frisou Chávez, advertindo que é preciso ver essa situação "com cuidado", pois se trata de uma ameaça contra seu país e contra a América Latina.

Além disso, Chávez enviou uma saudação especial ao presidente da Síria, Bashar al Assad, e reiterou que contra esse país "há uma agressão permanente".

Alô Presidente

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, retomou neste domingo, da Faixa petrolífera do Orinoco (leste), seu programa semanal Alô Presidente, que esteve fora do ar por sete meses devido a um câncer diagnosticado em junho, do qual o presidente garante ter se recuperado.

"Hoje é 8 de janeiro, domingo, estamos no Alô Presidente número 376. Estamos aqui na (empresa petrolífera) Petromonagas, estamos no Estado Anzoátegui (nordeste)", disse Chávez ao abrir o programa, direto da riquíssima Faixa do Orinoco, um território que guarda 220 bilhões de barris de petróleo pesado e extra-pesado.

O presidente venezuelano, que visitou neste sábado a Faixa do Orinoco na companhia de seu colega peruano, Ollanta Humala, não realizava seu programa dominical desde o dia 5 de junho de 2011, poucos dias antes de ser diagnosticado com câncer.

O programa já havia deixado de ser transmitido regularmente em abril e maio, porque Chávez sofria com gripes e um problema no joelho, que o deixou afastado da atividade política por várias semanas.

"Sem o Alô Presidente, os domingos são entediantes. Prometo voltar amanhã, por pelo menos cinco horas", anunciou ontem Chávez, que costuma falar até sete ou oito horas em seu programa dominical. O espaço televisivo, que saiu do ar pela primeira vez em maio de 1999, é usado por Chávez semanalmente para fazer anúncios do governo e visitar diferentes regiões do país.