05 de Abril, 2011 - 10:35 ( Brasília )

Geopolítica

Tentativa de mediação entre regime do Iêmen e oposição deixa 4 mortos


Sana, 5 abr (EFE).- Pelo menos quatro pessoas morreram e 27 ficaram feridas em um confronto nesta terça-feira em Sana entre militares opositores e uma delegação da tribo à qual pertence o presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, que pretendia conversar com os manifestantes acampados no centro da capital.

Segundo várias testemunhas disseram à Agência Efe, um grupo de xeques da tribo de Saleh, acompanhados de guarda-costas armados, tentou acessar à praça onde se concentram milhares de manifestantes, para fazer a mediação no conflito entre o regime e a oposição.

Quando se aproximavam da praça por um dos acessos, controlados por militares seguidores do meio-irmão de Saleh, Ali Mohsen, que se uniu às fileiras da oposição no dia 21 de março, começou um tiroteio entre os soldados e os guarda-costas.

Aparentemente, a delegação seguia em um comboio de dez veículos que levavam fotografias do presidente, o que levou vários manifestantes a lançarem pedras contra a comissão negociadora, contra o qual os guarda-costas responderam com disparos, segundo o relato das fontes.

Conforme esta versão, os militares responderam abrindo fogo contra a delegação, que abandonou o lugar.

Uma fonte do Ministério do Interior indicou que três dos mortos e 15 dos feridos são seguidores da coalizão opositora que lidera os protestos, enquanto o outro morto e os demais feridos faziam parte do grupo negociador.

Além deste incidente, um enfrentamento entre partidários e opositores do regime de Saleh, que faziam manifestações nesta terça-feira nas ruas da cidade de Taez, no sul do Iêmen, deixou 37 feridos, que foram levados a hospitais com ferimentos leves de bala e lesões causadas pelas pedras, revelaram à Agência Efe fontes médicas.

Fontes da oposição, por sua vez, afirmaram à Efe que outras 400 pessoas foram atendidas em hospitais por asfixia, após inalar a fumaça do gás lacrimogêneo usado pela Polícia para dispersar os manifestantes, que pediam a renúncia do presidente.

As forças de segurança intervieram quando os participantes de duas grandes manifestações, uma a favor de Saleh e outra contra, se enfrentaram de forma violenta. A Polícia deu tiros para o ar e lançou gás lacrimogêneo para dispersar a multidão.

Desde 27 de janeiro, o Iêmen é palco de protestos contra o regime de Saleh, que ganharam intensidade a partir de meados de fevereiro. EFE
ja/sa