14 de Novembro, 2011 - 10:57 ( Brasília )

Geopolítica

Tensão marca relação russo-americana no Ártico


Voz da Rússia

A possibilidade de a Marinha norte-americana, com armas e mísseis, estar presente nos mares do norte causa sérias preocupações na liderança militar e política russa. O anúncio foi feito pelo representante permanente da Rússia junto à Otan, Dmítri Rogózin, durante uma reunião com os militares do Distrito Militar Ocidental.

Segundo ele, os EUA estão considerando a possibilidade de uma implantação temporária de uma frota nos mares Norte, Báltico, e talvez o Barents – com as plataformas de mísseis guiados. No entanto, disse Rogózin, não há nada mais permanente do que temporário.

 A Rússia se opõe constantemente a militarização desta região e se oferece para fazer dela uma das plataformas fundamentais para o desenvolvimento econômico e científico dos Estados do Ártico, ou seja, Rússia, Canadá, EUA, Noruega e Dinamarca. O Ártico tem reservas significativas de hidrocarbonetos e o potencial para desenvolver rotas aéreas e marítimas.

Washington está prestando atenção ao desenvolvimento da região do Ártico do ponto de vista de domínio na região, fortalecendo a atividade política, econômica e militar locais. Dmitry Rogózin considera que junto da fronteira russa está se formando uma área militar, "que formalmente declara-se como o potencial para interceptar mísseis balísticos na parte sul da Europa".