07 de Novembro, 2011 - 22:19 ( Brasília )

Geopolítica

Rússia - Na batalha com faca e mísseis?


Andrêi Kisliakov

O vice-ministro do Desenvolvimento Econômico da Rússia, Andrêi Klepatch, admitiu no dia 10 de outubro que a defesa do estado tem grandes possibilidades de falha nos anos de 2011 e 2012.

Parece que isso já se converte em uma tradição maldita. Com o volume de 1,159 milhões de rublos, os pedidos da defesa do Estado não foram cumprido em 30% no ano de 2010, e no ano anterior em 50%.

Como e a quem restou então equipar as Forças Armadas russas num futuro próximo?

 

Há posições para as quais o Complexo Militar-Industrial russo executa perfeitamente as ordens do estado, por exemplo, das facas de baioneta. O ministério da Defesa decidiu recentemente não tirar as baionetas do acervo de armas em uma conferência no Estado-Maior Geral. O anúncio de um dos participantes tornou-se a decisão: "A faca de baioneta permanece como a última razão da batalha quando acabam os cartuchos".

Por isso, incluíram um lugar para amarrar a baioneta na lista de requisitos obrigatórios para a nova máquina automática (o nome dela ainda não foi inventado) que está sendo desenvolvida para substituir a AK-74 da família da inesquecível Kalashnikov.