27 de Junho, 2017 - 16:10 ( Brasília )

Geopolítica

Assad visita base aérea russa na Síria


O presidente sírio, Bashar al-Assad, visitou uma base área russa em Hmeymim, no oeste da Síria, nesta terça-feira, informou a Presidência síria em sua conta no aplicativo Telegram, na primeira visita do líder ao local de onde aeronaves russas têm apoiado seus esforços de guerra.

Fotos circuladas em contas pró-governo em redes sociais mostraram o líder sírio sentado na cabine de um avião de guerra russo na base aérea, que fica perto de Latakia.


 

Macron e Trump concordam em trabalhar juntos em caso de novo ataque químico da Síria

O presidente francês, Emmanuel Macron, concordou, em um telefonema nesta terça-feira, trabalhar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para encontrar uma resposta comum caso ocorra um novo ataque químico na Síria, informou a Presidência francesa em comunicado.

Macron também convidou Trump para comparecer às comemorações do Dia da Bastilha em Paris, no dia 14 de julho, que neste ano irão marcar os 100 anos da entrada dos Estados Unidos na Primeira Guerra Mundial.

O líder francês já havia dito anteriormente que a França pode lançar ataques aéreos unilaterais contra alvos na Síria no caso de um ataque químico por parte do regime sírio.

EUA viram atividade de armas químicas em base aérea da Síria, diz autoridade

Os Estados Unidos viram o que pareciam ser preparações da Síria para um possível ataque com armas químicas na base área de Shayrat, a mesma que os Estados Unidos atingiram em abril, informou o porta-voz do Pentágono, capitão Jeff Davis, nesta terça-feira.

"Isso envolveu uma aeronave específica em um galpão específico, ambos que nós sabemos estarem associados com o uso de armas químicas", disse Davis, falando de Washington pelo telefone.

Davis acrescentou que a atividade preocupante aconteceu há um ou dois dias. Ele não disse como os Estados Unidos coletaram esses dados.

A Casa Branca disse na segunda-feira que aparentemente o governo da Síria está preparando outro ataque com armas químicas e advertiu o presidente sírio, Bashar al-Assad, que ele e seu Exército "pagarão um preço alto" se conduzirem tal ataque.

O ataque com mísseis contra a base área de Shayrat por parte dos Estados Unidos em abril veio após a morte de 87 pessoas causadas pelo que Washington disse ter sido um ataque com gás venenoso em território controlado por rebeldes. A Síria negou ter conduzido o ataque.