01 de Setembro, 2011 - 10:45 ( Brasília )

Geopolítica

Líbia - Filho de Khadafi diz que luta vai até o fim e vê vitória 'próxima'

O filho do líder líbio Muamar Khadafi, Saif al-Islam, afirmou nesta noite desta quarta-feira que a luta no país vai continuar e que os aliados de seu pai vão retomar a capital, Trípoli, em breve.

Em uma mensagem em áudio transmitida pela TV Al-Ray, com sede na Síria, Saif disse que estava falando de Trípoli e garantiu que Muamar Khadafi está bem.

Seu comunicado foi ao ar minutos após seu irmão, Saadi Khadafi, ter dito à rede de TV árabe Al-Arabiya que havia sido oficialmente nomeado para negociar com as forças que lutam contra o regime de seu pai.

O Conselho Nacional de Transição líbio (CNT), formado pelos insurgentes contrários ao regime de Khadafi, havia dado nessa terça-feira um ultimato para que o coronel e seus familiares se entreguem até sábado.

Alerta

Comandantes da força anti-Khadafi disseram estar se aproximando de Sirte, cidade natal do coronel, para cercá-la. O local é um dos poucos que ainda está sobre controle das forças leais ao líder líbio.

Em sua mensagem, Saif fez um alerta a respeito de um possível ataque contra Sirte, dizendo que há 20 mil pessoas armadas na cidade e dispostas a defendê-la.

"Quero deixar claro que nossos irmãos líbios estão por toda a parte", disse Said, acrescentando que ele esteve em Trípoli na tarde desta quarta-feira.

"Em breve, vamos até a Praça Verde para saudá-los, se Deus quiser."

O local, no centro de Trípoli, foi rebatizado de Praça dos Mártires, logo depois que os insurgentes entraram na capital, na semana passada.

"A resistência continua e a vitória está próxima", afirmou Said, que é visto por muitos como sucessor do líder líbio.
 

Desarmado

De acordo com a Al-Arabiya, Saadi – que não costuma ser considerado um porta-voz do regime – disse que seu pai estaria disposto a entregar o poder ao CNT e fez um apelo por negociações, para acabar com o banho de sangue na Líbia.

"Até onde sei, não vou me armar contra qualquer líbio. E peço que abaixem suas armas", disse Saadi à TV, afirmando que ainda estava na Líbia. Outros três filhos de Khadafi fugiram para a vizinha Argélia.

"Se a minha rendição colocar fim ao banho de sangue, estou pronto para fazer isso. Mas eu não represento apenas a minha pessoa. E, para se obter uma resolução pacífica, devemos sentar uns com os outros e negociar."

Mehdi Harati, um dos líderes do conselho de transição, confirmou o contato de Saadi.

"Ele está relutante. Mas se estiver realmente disposto a se render, ele estará seguro", disse Harati, segundo a agência de notícias AFP.

Verba descongelada

Mais cedo, foi anunciado que o CNT terá acesso ao primeiro lote dos investimentos do governo líbio que foram desbloqueados em bancos da Grã-Bretanha. A transação foi possível após a ONU liberar para saque os ativos do país no exterior.

Os 280 milhões de dinares líbios (equivalente a mais de US$ 200 milhões) ficarão sob responsabilidade do Banco Central da Líbia. O montante é apenas parte do US$ 1,5 bilhão que foi congelado em bancos britânicos, após uma resolução do Conselho de Segurança da ONU.

O CNT havia feito um apelo pela liberação, argumentando que a suspensão dos pagamentos a servidores públicos líbios e a falta de dinheiro em circulação no país poderiam comprometer a autoridade do conselho.