29 de Agosto, 2011 - 12:03 ( Brasília )

Geopolítica

Iraque não ameaçava Reino Unido antes de 2003, diz ex-chefe do MI5


O Iraque não representava "uma ameaça" para o Reino Unido antes de o então primeiro-ministro, Tony Blair, ter envolvido o país no conflito de 2003, afirmou nesta segunda-feira Eliza Manningham-Buller, ex-chefe do serviço de contraespionagem britânico MI5.

Em declarações à emissora britânica Radio Times, Manningham-Buller disse que o MI5 alertou que a invasão ao país árabe provavelmente aumentaria a ameaça terrorista no Reino Unido e desviaria a busca de membros da Al-Qaeda.

No entanto, ela afirmou que "cabia a outros decidirem" se a Guerra do Iraque, iniciada com o pretexto de achar supostas armas de destruição em massa e derrubar o regime do ditador iraquiano Saddam Hussein, foi um erro.

Mannigham-Buller, que foi chefe do MI5 entre 2002 e 2007, quando se afastou, defendeu o serviço de inteligência britânico diante das insinuações de que poderia ter evitado os ataques terroristas contra Londres cometidos em 7 de julho de 2005 além de "assumir" que o Reino Unido voltará a ser alvo de atos terroristas.

A ex-chefe do MI5 avaliou como "lamentável" a situação gerada na Líbia pelo ex-ditador líbio Muammar Kadafi, que continua desaparecido.

"É muito difícil. Vamos ficar apenas vendo o povo ser morto?", questionou, em relação às intervenções militares das forças da Otan para ajudar os rebeldes contra o regime kadafista.