03 de Fevereiro, 2017 - 15:00 ( Brasília )

Geopolítica

Presidente da Ucrânia diz que Rússia tem "total responsabilidade" por aumento de hostilidade no leste do país


O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, disse nesta sexta-feira que a Rússia é culpada pelo recente aumento de hostilidades próximo à cidade industrial de Avdiyivka, no leste da Ucrânia, que levou ao maior número de mortes em meses.

"A total responsabilidade pelo forte aumento atual da situação nos arredores da zona industrial de Avdiyivka... está com a Rússia e os combatentes apoiados por ela", disse em comunicado.

Embaixadora dos EUA na ONU culpa Rússia por novos atos de violência na Ucrânia

A embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas, Nikki Haley, culpou a Rússia nesta quinta-feira pela recente onda de violência no leste da Ucrânia e alertou que as sanções contra os russos relacionadas à Ucrânia não serão retiradas até que Moscou devolva Crimea a Kiev.

"Considero lamentável que, na minha primeira aparição aqui, eu precise condenar as ações agressivas da Rússia", disse Haley, fazendo suas primeiras observações públicas no Conselho de Segurança desde que assumiu o cargo de representante dos Estados Unidos na ONU, no mês passado.

"Não deve acontecer, nem ser assim. Queremos melhorar nossas relações com a Rússia, mas a situação extrema no leste da Ucrânia é uma condenação clara e forte das ações russas."

As declarações dela ocorrem em meio à especulação sobre as intenções do novo presidente norte-americano, Donald Trump, em relação a Moscou. Trump elogiou o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e expressou o desejo de melhorar as relações entre os dois países.

Rússia diz que Ucrânia viola convenção de Genebra e bombardeia áreas civis

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia acusou nesta sexta-feira as Forças Armadas ucranianas de violarem a Convenção de Genebra ao bombardearem áreas civis no leste da Ucrânia e usarem armamentos proibidos sob termos do acordo de paz de Minsk.

Maria Zhakharova, porta-voz do ministério, disse durante entrevista coletiva em Moscou que o que definiu como "barbárie" de Kiev não tinha justificativa, e que Forças Armadas ucranianas atingiram fortemente áreas onde mulheres e crianças estavam durante a noite.

Autoridades ucranianas e separatistas pró-Rússia acusaram uns aos outros na quinta-feira de realizarem novos ataques de artilharia em áreas residenciais no leste da Ucrânia, resultando em mortes de civis.

Os relatos de ataques ocorrem após uma pequena pausa na violência, na esteira de confrontos mortais nos últimos meses que levaram a atenção global de volta ao conflito. A Otan e União Europeia pediram que a Rússia use sua influência sobre os rebeldes para acabar com a violência.