08 de Fevereiro, 2016 - 12:20 ( Brasília )

Geopolítica

Foguete norte-coreano coloca Seul, Tóquio e Washington em alerta

Coreia do Sul e EUA classificam lançamento como teste de míssil e querem debater instalação de sistema antimíssil na península coreana. Rússia e China se opõem. Conselho de Segurança da ONU convoca reunião de emergência.

A Coreia do Norte lançou neste domingo (07/02) um foguete de longo alcance, supostamente transportando um satélite. Contudo a Coreia do Sul e os Estados Unidos classificaram o lançamento como um teste de míssil, realizado em desacato às sanções das Nações Unidas, e decidiram abrir conversações formais.

O Comando Estratégico dos EUA comunicou ter detectado um míssil entrando no espaço, e o Exército sul-coreano confirmou que o foguete norte-coreano colocou um objeto em órbita.

Pyongyang anunciou que o lançamento do satélite Kwangmyongsong-4 – batizado em memória do ex-líder Kim Jong- il, pai do atual ditador Kim Jong-un – foi um "sucesso completo" e que o satélite transportado estaria fazendo uma órbita polar da Terra a cada 94 minutos.

Sistema antimíssil polêmico

A agência estatal de notícias norte-coreana divulgou a imagem de um foguete branco que se assemelha a outro lançado anteriormente. Outra foto mostra Kim cercado por militares, celebrando no que parece ser um centro de comando.

O último lançamento de um foguete de longo alcance da Coreia do Norte, em 2012, colocou em órbita o que Pyongyang alegou ser um satélite de comunicação, mas nenhum sinal do objeto jamais foi detectado.

Em reação ao lançamento, Seul e Washington anunciaram que pretendem explorar a viabilidade de um sistema avançado de defesa de mísseis na Coreia do Sul. A China e a Rússia se opõem à sugestão.

"Decidiu-se abrir conversações formais sobre a possibilidade de instalar o sistema THAAD [Terminal High Altitude Area Defense] no âmbito dos esforços para solidificar a aliança de defesa antimíssil entre Coreia do Sul e EUA", afirmou Ryu Je-Seung, membro do Ministério da Defesa sul-coreano.

Reunião de emergência do Conselho de Segurança

Peritos de Seul estimam que o foguete norte-coreano possa ter um alcance de mais de 10 mil quilômetros, distância superior à que separa a península coreana do território continental dos Estados Unidos.

A Coreia do Norte havia notificado agências das Nações Unidas que planejava lançar um foguete carregando um satélite de observação da Terra. O anúncio provocou oposição de governos que interpretam a operação como um teste de mísseis de longo alcance.

O Conselho de Segurança da ONU agendou para este domingo uma reunião de emergência em Nova York, convocado, segundo diplomatas, tanto pelos Estados Unidos e o Japão, que são membros do Conselho, como pela Coreia do Sul.