14 de Janeiro, 2016 - 10:20 ( Brasília )

Geopolítica

Irã liberta de forma rápida dez marinheiros norte-americanos


O Irã libertou dez marinheiros norte-americanos nesta quarta-feira, um dia depois de prendê-los no Golfo a bordo de dois barcos de patrulha da Marinha dos Estados Unidos, dando um fim rápido a um incidente que mexeu com os nervos pouco antes da esperada implementação de um acordo nuclear histórico.

A Guarda Revolucionária Islâmica do Irã disse que havia libertado os marinheiros depois de determinar que eles haviam entrado na costa iraniana devido a um erro. O almirante Ali Fadavi declarou mais cedo que os barcos haviam saído da rota por conta de um sistema de navegação quebrado.

A resolução rápida do caso contrastou com casos prévios em que britânicos ficaram detidos pelo Irã por mais tempo, em um dos casos por quase duas semanas.

O Irã espera que a agência de fiscalização nuclear das Nações Unidas confirme nesta sexta-feira que o país reduziu o seu programa atômico, abrindo o caminho para o descongelamento de bilhões de dólares em bens iranianos e para o fim de proibições que afetaram as exportações de petróleo do país.

A TV estatal do Irã divulgou imagens de um dos detidos, identificado como um comandante da Marinha norte-americana, se desculpando pelo incidente.
 

Relatório da ONU que permite alívio de sanções contra Irã pode ser divulgado na sexta

A agência das Nações Unidas que fiscaliza programas nucleares pode confirmar na sexta-feira que o Irã reduziu o seu programa como acordado com potências mundiais, abrindo o caminho para que sanções sejam suspensas, afirmaram fontes diplomática e iraniana.

Um relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) certificando que o Irã cumpriu todas as obrigações do acordo, conhecido como JCPOA, é uma condição crucial para que o alívio das sanções seja implementado.

“A AIEA vai divulgar o seu relatório final nesta sexta-feira para confirmar que o Irã cumpriu as suas obrigações sob o JCPOA”, declarou o vice-ministro do Exterior, Abbas Araqchi, de acordo com a agência de notícias Fars.

Uma fonte diplomática também afirmou que o relatório da AIEA iria provavelmente ser divulgado na sexta, enquanto que o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse que o “Dia da Implementação” do acordo ocorreria “provavelmente dentro dos próximos dias”. Outro diplomata com base em Viena, sede da AIEA, fez um comentário cauteloso.

“Há trabalho duro sendo feito para chegar ao Dia da Implementação. Progresso positivo está sendo feito, mas ainda há áreas para serem finalizadas, e nenhuma data foi marcada”, afirmou o diplomata. A AIEA não quis comentar.