09 de Setembro, 2015 - 14:00 ( Brasília )

Geopolítica

OTAN expressa preocupação com aumento de presença militar russa na Síria


Informações relativas ao aumento da atividade militar russa na Síria têm causado preocupações, afirmou nesta quarta-feira o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg.

"Eu estou preocupado com as informações sobre aumento da presença militar russa na Síria", disse Stoltenberg a jornalistas durante visita a Praga.

"Eu acredito que é importante apoiar todos os esforços para encontrar uma solução política para o conflito na Síria."

Oficial militar sírio diz que especialistas russos ampliaram presença no país

Peritos militares russos ampliaram presença na Síria no último ano, disse um oficial militar sírio nesta quarta-feira, indicando que estão sendo aprofundados os laços entre os dois países, o que o governo dos Estados Unidos teme que possa ser um reforço no apoio ao presidente Bashar al-Assad.

A Rússia confirmou que mantém peritos militares na Síria, mas disse que eles estavam lá apenas para ajudar as autoridades a receber carregamentos de armas que reconheceu ter enviado.

Funcionários dos Estados Unidos, que estão travando uma guerra aérea contra o grupo militante islamista Estado Islâmico na Síria e também se opõem ao governo de Assad, disseram nos últimos dias suspeitar de que a Rússia esteja reforçando a ajuda ao governo sírio, aliado de Moscou desde a Guerra Fria.

Washington vem pressionando os países vizinhos para que neguem seu espaço aéreo a voos russos, um movimento que a Rússia classificou nesta quarta-feira como "grosseria internacional".

"Especialistas russos estão sempre presentes, mas no ano passado eles estiveram presentes em um grau maior," disse o oficial sírio. "Todos os aspectos da relação estão atualmente sendo desenvolvidos, incluindo o militar", afirmou.

A situação se voltou contra Assad nos últimos meses na guerra civil multifacetada, que já dura quatro anos e matou cerca de 250.000 pessoas, além de ter forçado cerca de metade dos 23 milhões de sírios a deixar suas casas.

No mais recente revés importante no campo de batalha, a televisão estatal síria informou que as tropas do governo tinham perdido o controle de uma base aérea no noroeste da Síria para uma aliança de rebeldes, depois de quase dois anos sob cerco.