20 de Julho, 2011 - 10:31 ( Brasília )

Geopolítica

Cidade-chave no Afeganistão passará ao controle de forças locais


Tropas britânicas da Otan na volátil província de Helmand, no sul do Afeganistão, estão se preparando para entregar o controle da cidade-chave de Lashkar Gah às forças afegãs, em meio aos preparativos para o início da retirada dos soldados estrangeiros do país.

A Otan já passou às forças de segurança locais, nesta terça-feira, as operações na relativamente pacífica província de Bamiyan e na cidade de Mehter Lam (leste).

Mas correspondentes afirmam que a manutenção da estabilidade em Lashkar Gah - onde insurgentes do Talibã permanecem ativos - é que será o verdadeiro teste para a habilidade das tropas afegãs em garantir a segurança do país.

No final de junho, o presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou a retirada das tropas americanas a um ritmo mais rápido que o esperado por analistas. Até o fim deste ano, 10 mil soldados regressarão do Afeganistão; outros 23 mil soldados sairão do país até setembro de 2012.

Passo crítico
A transição em Lashkar Gah, prevista para o fim deste mês, é vista como um passo crítico na transferência de poder antes de os soldados estrangeiros terminarem suas operações de combate no Afeganistão, em 2014. E o processo ocorre em meio a novas ondas de violência no país asiático.

Na última segunda-feira, sete policiais foram mortos em um posto de checagem perto de Lashkar Gah, nos arredores da área que será passada ao controle afegão. E, no sábado, um soldado britânico foi morto em uma patrulha de rotina na área.

Correspondentes da BBC relatam que, apesar do crescente número de mortos resultante da ofensiva americana no país, a segurança aumentou em diversas áreas afegãs.

Por outro lado, a eficiência da polícia e dos soldados afegãos é questionada, e há temores de que essas tropas não sejam capazes de conter eventuais novas ofensivas do Talibã, esperadas para este verão no hemisfério Norte.

Ataques
Desde março, quando o presidente afegão, Hamid Karzai, anunciou que distintas áreas do país passariam a ser controladas por forças locais, a violência teve um súbito aumento.

Um ataque recente contra um hotel em Cabul deixou 22 mortos. E, horas depois da primeira cerimônia de transição de comando, na cidade de Bamiyan, nesta terça, militantes assassinaram um conselheiro presidencial em sua própria casa, na capital afegã.

Ao comentar a transição, o secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, disse que todos os passos da transição seriam "determinados pelas condições em terra". Atualmente, há cerca de 140 mil soldados estrangeiros no Afeganistão - sendo 100 mil deles americanos - combatendo a insurgência do Talebã.