25 de Abril, 2015 - 11:50 ( Brasília )

Geopolítica

Pentágono nega alegação de Moscou sobre tropas dos EUA no leste da Ucrânia


O Ministério da Defesa russo disse nesta quinta-feira que soldados dos Estados Unidos estão treinando forças ucranianas na zona de conflito no leste da Ucrânia, o que o Pentágono negou categoricamente, acusando Moscou de uma “tentativa ridícula” de desconversar sobre sua própria atividade na região.

A agência de notícias Interfax citou o porta-voz do ministério russo, o major-general Igor Konashenkov, que disse que tropas dos EUA treinam forças ucranianas não somente no oeste ucraniano, “como os canais de televisão ucranianos mostram, mas diretamente na zona de combate na área de Mariupol, Severodonetsk, Artyomovsk e Volnovakha”.

O Ministério da Defesa da Rússia confirmou a informação, mas o Pentágono a refutou.

"Esta é uma tentativa ridícula de tirar o foco do que está realmente acontecendo no leste da Ucrânia”, declarou Eileen Lainez, porta-voz do Pentágono.

“A Rússia continua a fornecer armas letais, a treinar e comandar e controlar o apoio aos separatistas no leste da Ucrânia, uma violação flagrante dos compromissos assumidos por Moscou em (acordo firmado em) Minsk e da soberania da Ucrânia”, acrescentou.

Lainez afirmou que o Pentágono deixou claro que tem algumas centenas de soldados treinando seguranças ucranianos na porção oeste do país próxima da Polônia.

Na segunda-feira, o Pentágono anunciou que cerca de 300 paraquedistas da 173ª Brigada Aérea do Exército norte-americano baseados em Vicenza, na Itália, começaram o treinamento, planejado há tempos, de membros da guarda nacional ucraniana no Centro de Segurança e de Pacificação Internacional em Yavoriv, perto da divisa polonesa.

O treinamento inicial envolveu 300 seguranças. As tropas dos EUA devem preparar um total de 900 guardas ao longo de seis meses, segundo o Pentágono. O foco do programa é o manejo de armas, primeiros socorros, retirada de vítimas e outras atividades de unidades menores.

As forças norte-americanas levaram o treinamento adiante apesar dos alertas russos de que a atividade pode desestabilizar o cenário. Um cessar-fogo está tecnicamente em vigor no leste ucraniano, mas as violações são relatadas diariamente.

Na quarta-feira, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, discutiu a situação da Ucrânia com o ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, por telefone, exortando a Rússia a pressionar para que os separatistas cumpram o cessar-fogo e outras medidas acordadas em Minsk, informou o Departamento de Estado.

No mesmo dia, Washington acusou a Rússia de construir sistemas de defesa aérea no leste da Ucrânia e de envolvimento em exercícios de treinamento de rebeldes pró-Rússia, o que desrespeita a trégua mediada por países europeus.