20 de Março, 2015 - 11:55 ( Brasília )

Geopolítica

UE vincula sanções contra Rússia a acordo de paz na Ucrânia

Rússia diz que sanções são "destrutivas" e vai agir pelos interesses nacionais

(Reuters) - O governo da Rússia descreveu nesta sexta-feira a "retórica de sanções" como destrutiva e disse que fará o que for do interesse nacional, após líderes da União Europeia terem mantido sanções econômicas contra Moscou devido à crise na Ucrânia.

Em declarações a jornalistas, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, também acusou Kiev de violar os termos de um acordo de paz para o leste da Ucrânia acertado em Minsk, capital de Belarus.

"Preferimos nos envolver em questões criativas, não questões destrutivas como a retórica de sanções. Então não discutimos sanções e a Federação Russa fará o que for do seu interesse nacional", afirmou.

UE vincula sanções contra Rússia a acordo de paz na Ucrânia

(Deutsche Welle) - A União Europeia vai manter as sanções econômicas contra a Rússia até que o acordo de cessar-fogo assinado em Minsk seja totalmente implementado, anunciou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, nesta quinta-feira (19/03).

Durante reunião em Bruxelas, líderes europeus não chegaram a um consenso sobre uma eventual extensão formal das atuais sanções, que devem ficar em vigor até julho.

Na prática, porém, por estarem vinculadas ao acordo acertado em fevereiro em Minsk, as sanções vão acabar valendo até o fim do ano. Isso porque o documento assinado na capital de Belarus estabelece uma série de ações que deverão ser cumpridas nos próximos meses.

Segundo Tusk, a decisão mostra o posicionamento dos 28 Estados-membros sobre o envolvimento da Rússia nos conflitos entre as tropas de Kiev e os rebeldes separatistas pró-russos no leste ucraniano. E também mostra apoio dos países europeus ao governo da Ucrânia, que tem pedido constantemente que a UE mantenha a pressão sobre Moscou.