29 de Janeiro, 2015 - 16:50 ( Brasília )

Geopolítica

Reino Unido intercepta bombardeiros russos no Canal da Mancha

Força Aérea Real enviou caças para evitar que aviões russos entrassem no espaço aéreo britânico.

Caças britânicos Typhoon interceptaram dois bombardeiros de longo alcance russos Bear, que voavam perto do espaço aéreo da Grã-Bretanha, informou o Ministério da Defesa britânico nesta quinta-feira (29).
 
Os aviões russos foram detectados quando sobrevoavam o Canal da Mancha, no sul da Inglaterra, nesta quarta-feira (28). Na sequência, dois Typhoon foram lançados a partir das bases da Força Aérea Real (RAF, na sigla em inglês) em Lossiemouth, na Escócia, e Coningsby, no leste da Inglaterra.
 
“Os aviões russos foram escoltados pela RAF até saírem da área de interesse britânica. Em nenhum momento os aviões militares russos adentraram o espaço aéreo de soberania britânica”, lê-se em um comunicado divulgado pelo Ministério da Defesa.
 
No ano passado, a Otan realizou mais de 100 interceptações de aeronaves russas, cerca de três vezes mais do que em 2013, em meio à escalada de tensões entre o Ocidente e Moscou devido à crise na Ucrânia.
 
Elizabeth Quintana, pesquisadora sênior do “think-tank” (centro de estudo) de defesa do Royal United Services Institute, disse que o incidente desta quarta-feira era incomum e poderia estar ligado ao fato de a Grã-Bretanha ter iniciado uma investigação sobre a morte  do crítico do Kremlin e ex-espião da KGB, Aleksandr Litvinenko, há nove anos em Londres.
 
"Normalmente, os [caças russos] Bears passam pela Noruega e pelo mar do Norte. [O exercício] poderia ter sido feito para sondar a velocidade de reação da RAF em uma área mais ao sul”, disse Quintana ao jornal “Daily Mail”.
 
“Qualquer aeronave militar que voe sobre o espaço aéreo de soberania de outro país ou perto dele sinaliza desagrado ou, na pior das hipóteses, agressão”, acrescentou a pesquisadora.
 
Publicado originalmente pelo The Moscow Times