08 de Novembro, 2014 - 11:30 ( Brasília )

Geopolítica

EUA anunciam envio de mais 1.500 soldados ao Iraque

Tropas devem treinar e aconselhar forças iraquianas e curdas que lutam contra o grupo extremista "Estado Islâmico". Número de militares americanos no país passará de 3 mil.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, autorizou o envio de até 1.500 soldados adicionais para o Iraque, praticamente dobrando o número que já está lá, para aconselhar e treinar as forças iraquianas que combatem militantes do Estado Islâmico, disseram autoridades dos EUA nesta sexta-feira.

Os EUA têm cerca de 1.400 soldados no Iraque, um pouco abaixo de um limite anterior de 1.600.

O Pentágono informou que planeja estabelecer diversos locais em todo o país para treinar nove brigadas do Exército iraquiano e três brigadas de combatentes curdos conhecidos como peshmergas.

Os militares dos EUA também vão estabelecer centros de operações para "conselho e ajuda", somando-se aos centros similares já criados em Bagdá e Erbil.

Alarmado com o avanço dos militantes do Estado Islâmico em todo o Iraque, Obama começou a enviar recentemente tropas não-combatentes pela primeira vez desde que as forças norte-americanas se retiraram do país em 2011.

Um oficial militar dos EUA disse que um local para onde conselheiros militares seriam enviados em breve é a província de Anbar, que faz fronteira com a Síria e onde os combatentes do Estado Islâmico ainda estão na ofensiva.

As principais divisões militares do Iraque em Anbar foram seriamente danificadas. Pelo menos 6.000 soldados iraquianos foram mortos até junho e o dobro deste número desertou, segundo fontes médicas e diplomáticas.

Obama lançou ataques aéreos contra alvos do Estado Islâmico na Síria e no Iraque, mas ele descartou a possibilidade de enviar tropas terrestres para o combate.

O governo vai pedir ao Congresso 5,6 bilhões de dólares para as operações no Iraque e na Síria, que inclui 1,6 bilhão de dólares do novo "fundo para treinar e equipar o Iraque", segundo o escritório de administração e orçamento da Casa Branca.

(Reportagem de Roberta Rampton)