29 de Julho, 2014 - 10:05 ( Brasília )

Geopolítica

Hamas pretende alcançar objetivos com ajuda de soldados israelitas prisioneiros

Militantes de Gaza se infiltram por túnel em Israel e matam 5 soldados

O movimento palestino Hamas planeja conseguir suas exigências políticas aprisionando o maior número possível de soldados do Exército de Defesa de Israel, que realiza uma operação terrestre na Faixa de Gaza, declarou Mousa Abu Marzuk, vice-chefe do bureau político dessa organização, numa entrevista à RIA Novosti.

“A nossa juventude tenta, dia e noite, aprisionar o maior número possível de soldados israelitas. Pretendemos alcançar as exigências da resistência através da troca de prisioneiros, e não de apelos a Israel e à pressão sobre ele. Deus queira que tenhamos mais soldados para troca”, disse ele.

Segundo o movimento que governa em Gaza, a conclusão da paz com Tel Avive deve prever o levantamento total do bloqueio à faixa, a libertação dos prisioneiros palestinos, a reconstrução da infraestrutura da Faixa de Gaza, bem como uma série de outras exigências.

Segundo o interlocutor da agência, atualmente, o Hamas aprisionou um militar.

 

Militantes de Gaza se infiltram por túnel*

Militantes da Faixa de Gaza se infiltraram em Israel através de um túnel e mataram cinco soldados em uma batalha perto da comunidade israelense de Nahal Oz, nas imediações da fronteira com o território palestino, disseram os militares de Israel nesta terça-feira.

"Os soldados foram mortos durante combate quando terroristas tentaram realizar um ataque usando um túnel que ia de Gaza até Nahal Oz. Os soldados frustraram a tentativa ao perceberem o esquadrão e neutralizarem um dos terroristas", disseram os militares em um comunicado.

O incidente na segunda-feira elevou para dez o número de militares israelenses mortos nesse dia.

Quarenta e três soldados israelenses foram mortos desde que Israel lançou sua ofensiva na Faixa de Gaza, na qual morreram cerca de 1.100 palestinos, na maioria civis.

Israel iniciou sua ofensiva militar na Faixa de Gaza em 8 de julho dizendo ter como objetivo deter os ataques de foguetes por parte do movimento dominante Hamas e outros grupos armados. Dez dias depois, enviou forças terrestres com o objetivo declarado de destruir os túneis construídos pelo Hamas na fronteira.

(*Por Ori Lewis/Reuters)