22 de Junho, 2011 - 11:26 ( Brasília )

Geopolítica

China pede que EUA fiquem fora de disputa marítima regional


PEQUIM (Reuters) - A China pediu nesta quarta-feira aos Estados Unidos que não se envolvam na disputa de vários países da Ásia pelas águas no Mar do Sul da China, afirmando que a interferência dos norte-americanos pode piorar a situação. Essa foi a advertência mais direta feita pelo governo chinês a Washington ns últimas semanas.

O vice-ministro de Relações Exteriores, Cui Tiankai, fez o comentário para um pequeno grupo de repórteres estrangeiros, antes de um encontro entre autoridades chinesas e norte-americanas no Havaí, neste fim de semana, num momento da maior escalada da tensão regional nos últimos anos por reivindicações de soberania no Mar do Sul da China.

As tensões no Mar do Sul da China aumentaram nos últimos meses diante da preocupação da China em ser mais firme em relação às águas, das quais uma parte é também reivindicada por Brunei, Malásia, Filipinas, Taiwan e Vietnã. Acredita-se que a área seja rica em petróleo e gás.

'Os Estados Unidos não são uma parte interessada na disputa no Mar do Sul da China, portanto, é melhor que os Estados Unidos deixem que a disputa seja resolvida entre os Estados com reivindicações', disse Cui.

'Embora alguns amigos dos americanos possam querer que os Estados Unidos ajudem nesta matéria, nós apreciamos seu gesto, mas é mais comum que tais gestos somente tornem as coisas mais complicadas', disse ele.

'Se os Estados Unidos querem ter um papel, podem aconselhar prudência para os países que têm adotado ações provocativas e lhes pedir que sejam mais responsáveis em seu comportamento', afirmou Cui.

'Acredito que cada país esteja na realidade brincando com fogo e espero que o fogo não ganhe impulso dos Estados Unidos.'

A China quer que as disputas sejam resolvidas unilateralmente, mas outros países, como as Filipinas, defendem uma solução multilateral.

O porta-voz da chancelaria filipina, Eduardo Malaya, disse a jornalistas em Manila que a questão 'afeta não apenas os países com reivindicações, mas toda a região e além dela, e por isso requer uma abordagem multilateral'. Ele não mencionou os Estados Unidos.

Cui enfatizou que a China 'não é responsável pela disputa' e disse estar cada vez mais preocupado com o que considera freqüente provocações de outros países. Ele será um dos anfitriões no fim de semana de consultas com o subsecretário de Estado dos EUA, Kurt Campbell.

'Estamos preocupados pelos eventos recentes no Mar do Sul da China, mas nós não somos a parte que provocou esses incidentes', disse ele.

'Se vocês examinarem de perto os fatos, vão reconhecer quais são os países que ocuparam ilegalmente ilhas que estão sob soberania de outros países. Não foi certamente a China. Quais são os países que fizeram mais para explorar reservas de gás e petróleo na região? Não foi certamente a China.'

'Quais os países que demonstraram ou usaram força contra pescadores de outros países? Novamente, não foi a China.'

(Reportagem adicional de Manny Mogato em Manila e John Ruwitch em Hanói)