23 de Junho, 2014 - 11:00 ( Brasília )

Geopolítica

Crise no Iraque leva Kerry a Oriente Médio e Europa

Secretário de Estado americano inicia no Egito maratona de reuniões para resolver crise no Iraque. Mídia iraquiana relata avanços estratégicos dos insurgentes.

O secretário de Estado americano, John Kerry, iniciou neste domingo (22/06) no Egito um giro pelo Oriente Médio para negociar uma solução para a crise provocada no Iraque pelo grupo extremista Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL).

No Cairo, Kerry pediu aos políticos iraquianos que superem as diferenças confessionais. Ele assegurou ainda que os Estados Unidos não pretendem interferir nas decisões que a liderança do Iraque tomar.

"Este é um momento crítico, no qual chamamos os líderes iraquianos a deixarem para trás considerações confessionais, e falar com todas as pessoas", disse Kerry em uma coletiva de imprensa com seu colega de pasta egípcio, Sameh Shukri.

O secretário de Estado americano refutou acusações de que os EUA seriam responsáveis pela crise por terem destituído Saddam Hussein do poder em Bagdá, numa intervenção militar em 2003.

Maratona de reuniões

Antes da viagem, a porta-voz de Kerry havia dito que o secretário de Estado pretende conversar "com parceiros e aliados" sobre segurança, estabilidade e a composição de um governo de consenso no Iraque. A viagem foi iniciada com uma visita de surpresa ao Cairo, depois deve seguir para a Jordânia.

Na próxima semana, Kerry irá a Bruxelas para a reunião de ministros do Exterior da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Em Paris, ele participa de negociações com parceiros da região do Golfo. Eles devem falar sobre o fornecimento de petróleo, a raiz do conflito no Iraque, disse neste domingo um alto funcionário da Secretaria de Estado.

A crise no Iraque também será tema de uma reunião dos ministros do Exterior da União Europeia nesta segunda-feira em Luxemburgo. Eles pretendem condenar a violência dos islamitas e apelar pela formação de um governo em Bagdá, no qual estejam representados tanto sunitas quanto xiitas.

Avanço dos insurgentes

Os insurgentes prosseguem sua ofensiva, enquanto o exército recuou em várias cidades. A maior refinaria do Iraque, Baiji, localizada a 200 quilômetros ao norte da capital, tornou-se um campo de batalha.

A milícia islâmica EIIL continua ampliando a área sob seu poder no oeste do Iraque. Segundo a mídia iraquiana, no final de semana os insurgentes conquistaram vários lugarejos ao longo da fronteira com a Síria.

Testemunhas relataram que os combatentes extremistas tomaram o controle de grande parte de Haditha, a 260 quilômetros de Bagdá. Nesta região há uma barragem com uma usina hidrelétrica de importância estratégica.

A mídia iraquiana também relatou a chegada de combatentes islâmicos radicais em um posto de fronteira do Iraque com a Síria. Não há confirmações destas notícias de fontes independentes ou oficiais.