07 de Abril, 2014 - 10:30 ( Brasília )

Geopolítica

Dominó Russo - Ativistas pró-Moscou proclamam a independência de Donetsk

Ativistas ocuparam principal edifício do governo de Donestsk no domingo; premiê ucraniano acusa a Rússia de querer desmembrar o país

Os ativistas pró-Moscou que ocupam o principal edifício do governo local de Donetsk, na região leste da Ucrânia, proclamaram nesta segunda-feira a criação de uma "república soberana" independente de Kiev.

A decisão foi anunciada por um porta-voz dos manifestantes, que compareceu à entrada do edifício para falar com a imprensa.

Dezenas de manifestantes pró-Rússia aplaudiram o anúncio diante do edifício, mas os ativistas não parecem controlar outras áreas da cidade de um milhão de habitantes.

Após negociações, os manifestantes deixaram o edifício, que nesta segunda-feira estava sob o controle de Kiev, segundo o ministro do Interior, Arsen Avakov, que viajou a Kharkiv.

Desde a queda do presidente Viktor Yanukovytch, após protestos e confrontos violentos na capital Kiev, a tensão é muito forte no leste do país, onde várias pessoas morreram em manifestações, e no sul da Ucrânia.

Segundo a agência Interfax, os manifestantes decidiram organizar um referendo de soberania regional até 11 de maio. 

O site de notícias local Ostrov afirma que os ativistas pediram para integrar a Federação Russa.

O governo pró-Ocidente de Kiev enviou à região no domingo o vice-primeiro-ministro encarregado das questões de segurança.

Premiê acusa Rússia de querer desmembrar o país

O primeiro-ministro ucraniano Arseni Yatseniuk acusou nesta segunda-feira a Rússia de estar por trás dos protestos e das ocupações de prédios oficiais das últimas horas com o objetivo de "desmembrar" o país.

"Há um plano para desestabilizar a situação, um plano para que as forças estrangeiras atravessem a fronteira e tome o território do país, mas não vamos permitir", disse Yatseniuk.

"O roteiro está escrito pela Federação Russa e seu único objetivo é desmembrar a Ucrânia", compleou.

A tensão aumentou no domingo na região leste do país, que tem população majoritária de língua russa, onde grupos de manifestantes pró-Moscou atacaram e ocuparam edifícios oficiais nas cidades de Kharkiv, Lugansk e Donetsk.

Para tentar acalmar a situação, o ministro do Interior, Arsen Avakov, viajará a Kharkiv e o vice-primeiro-ministro responsável por questões de segurança, Vitali Iarema, a Donetsk, anunciou o chefe de Governo.

Avakov afirmou nesta segunda-feira que a administração regional de Kharkiv, ocupada durante o fim de semana, foi "totalmente liberada de separatistas".