11 de Março, 2014 - 11:45 ( Brasília )

Geopolítica

Ser militar na Rússia está se tornando novamente prestigiante


Na Rússia está crescendo o número de pessoas querendo assinar um contrato para servir no Exército. Este ano, o Ministério da Defesa planeja aumentar o contingente de forças armadas profissionais para 241 mil homens.

Já em 2020, no Exército e na Marinha deverão servir quase meio milhão de militares contratados.

Todos os meses, cerca de 10.000 jovens de ambos os sexos vêm a postos de recrutamento para o serviço militar. A seleção é rigorosa. O Exército está certamente interessado em profissionais, mas em primeiro lugar, essas pessoas devem conscientemente escolher o serviço militar como seu destino, e em segundo lugar, o Estado deve estar disposto a garantir-lhes condições materiais e de vida dignas, nota o diretor do Instituto de Avaliação Estratégica Serguei Oznobischev:

“O equipamento militar se complicou fundamentalmente, ele exige profissionais muito competentes que conhecem a área em que estão trabalhando. Por isso hoje não há alternativa ao exército por contrato. Outra coisa é que isso é um processo bastante demorado. É necessário criar o prestígio da profissão. Criar condições para que uma pessoa que entre no Exército se sinta segura, protegida, respeitada na sociedade. Porque queremos ter no Exército pessoas conscientes, talentosas, e não apenas jovens de meios desfavorecidos que vão lá apenas pela sustentação mínima. O rendimento no Exército deve estar a um nível muito elevado em comparação com as condições em que vivem na vida civil jovens da mesma idade.”

Foi justamente a velocidade da criação de condições sociais e de vida para os militares que forçou o Ministério da Defesa a rever seus planos de recrutamento de militares por contrato em 2014. Por exemplo, um militar deve, nos termos do contrato, ser provido de habitação. Em muitas regiões do país, esses recursos já foram esgotados. Mas onde não há apartamentos de serviço são alocados fundos para alugar.

Além disso, o Ministério da Defesa está trabalhando ativamente para criar uma reserva de habitação de serviço. Os recursos financeiros necessários para isso já foram alocados por decisão do presidente e comandante supremo Vladimir Putin. Em particular, este ano deverão ser construídos 17 mil apartamentos de serviço.

Está também aumentando o rendimento em dinheiro dos militares contratados. O salário mensal varia entre os 300 e 3.000 dólares, dependendo da posição. E além disso há bônus por anos servidos, condições difíceis de serviço, passagens de testes de padrão, e diligência especial. O Exército está interessado em que pessoal contratado venha servir não só por um período de três anos, mas que continue renovando seus contratos. Ora, com cada renovação para o militar e sua família se abrem novos benefícios. Isso aumenta significativamente a atratividade do serviço militar.

No entanto, o Ministério da Defesa não tem planos de tornar o Exército russo totalmente profissional. O serviço por conscrição permanecerá também depois de 2020. O tamanho do país é tal que requer um forte recurso de mobilização em seu território, ressaltou o ministro da Defesa, Serguei Shoigu.

Em geral, a profissionalização das forças armadas será direcionada, focada em melhorar os parâmetros de qualidade do Exército russo, incluindo a sua mobilidade. Segundo um comunicado do Estado-Maior Geral das Forças Armadas da Rússia, durante este ano, 16 batalhões de forças aerotransportadas e 17 batalhões de fuzileiros navais serão totalmente compostos por militares contratados.

Texto/tradução: Voz da Rússia