05 de Março, 2014 - 10:25 ( Brasília )

Geopolítica

Seul: Coreia do Norte tem cerca de 100 mísseis de precisão KN-02


A Coreia do Norte possui até 100 mísseis de precisão KN-02, com alcance de até 170 quilômetros, garantiu nesta quarta-feira uma fonte de Defesa de Seul, depois que o Exército norte-coreano lançou vários foguetes ao mar nos últimos dias.

"Estima-se que a Coreia do Norte acumula cerca de 100 mísseis KN-02, considerando o número de plataformas de lançamento", informou à agência local Yonhap um funcionário do alto escalão do Ministério da Defesa de Seul.

O governo sul-coreano acredita que esses mísseis de curto alcance, de fabricação norte-coreana, baseados nos soviéticos Tochka e Scarab-A, podem percorrer distâncias de 170 quilômetros e não de 120 quilômetros, como se estimava anteriormente.

A fonte também afirmou que o regime de Kim Jong-un pode mobilizar até 30 veículos que servem como plataformas de lançamento para os KN-02.

Esses mísseis, que são alimentados com combustível sólido, representam - segundo os especialistas - um desafio maior para a defesa da Coreia do Sul, já que levam apenas 15 minutos para serem lançados, alcançam sua velocidade máxima 3 ou 4 minutos após o disparo, e seu lançamento é muito difícil de se detectado com antecedência.

O Exército da Coreia do Sul elevou seu alerta pela ameaça de mísseis norte-coreanos nos últimos dias, depois que o Exército do país vizinho lançou ao mar na quinta-feira passada e ontem, pelo menos 13 projéteis de curto alcance.

As ações do regime de Kim Jong-un são consideradas como uma resposta aos exercícios militares anuais Foal Eagle e Key Resolve, realizados em conjunto por Seul e Washington nos últimos dias em território e mares da Coreia do Sul.

O Key Resolve será terminado no próximo dia 9 de março, e o Foal Eagle vai até 18 de abril, por isso não são descartados novos lançamentos de mísseis norte-coreanos nas próximas semanas.

No primeiro semestre do ano passado, a Coreia do Norte reagiu a esses dois exercícios conjuntos com uma longa e intensa campanha de hostilidades, que também incluiu disparos ao mar de mísseis de curto alcance.

Os EUA mantêm 28,5 mil efetivos militares na Coreia do Sul e se comprometem a defender seu aliado diante de um hipotético ataque do Norte como herança da Guerra da Coreia (1950-53), um conflito que terminou com um cessar-fogo, ao invés de um tratado de paz, o que mantém os dois países tecnicamente em guerra.