08 de Junho, 2011 - 10:48 ( Brasília )

Geopolítica

Ministros abordam reestruturação da Otan e operação na Líbia


Os ministros da Defesa dos países-membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) iniciaram sua reunião na sede da organização em Bruxelas, onde discutem o corte de quartéis do organismo e a operação militar na Líbia. O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, insistirá na tarde desta quarta-feira em seu pedido para que os países enviem mais meios e permitam um uso mais flexível dos já empregados.

O ministro da Defesa do Reino Unido, Liam Fox, cujo país forneceu junto com a França helicópteros de combate à operação na Líbia, dirigida pela Otan, apoiou o pedido de Rasmussen. "Queremos ver uma maior urgência em algumas capitais", disse Fox. A Otan considera que o regime de Muammar Kadafi na Líbia está chegando ao fim, por isso que a discussão desta quarta-feira se centra na preparação da era pós-Kadafi.

Já a reforma da estrutura militar da Otan pretende reduzir o número de quartéis de 11 para sete. O secretário-geral da Otan apresentará aos ministros na noite desta quarta-feira, durante um jantar de trabalho, uma proposta detalhada de seu plano e espera receber o apoio pleno dos Estados-membros.

Um dos 11 quartéis da Otan está em Retamares (Espanha), no qual trabalham mais de 400 pessoas, enquanto outro dos ameaçados é o de Heidelberg (Alemanha). Fontes militares revelaram que o plano de Rasmussen contempla a eliminação das duas instalações militares.

Diplomatas de vários países-membros da Otan mostraram cautela sobre as possibilidades de sucesso da proposta do secretário-geral. "O tema está muito verde. Não está claro se será aprovado", afirmou um diplomata europeu.