06 de Agosto, 2013 - 10:00 ( Brasília )

Geopolítica

Gibraltar acusa Espanha de ameaça retórica em disputa diplomática


Peter Griffiths

As tensões a respeito de Gibraltar cresceram nesta segunda-feira, quando o ministro-chefe do território britânico acusou a Espanha de tomar atitudes semelhantes às da Coreia do Norte, após o governo espanhol ter considerado impor uma cobrança de taxa para atravessar a fronteira e controlar o espaço aéreo.

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, está "seriamente preocupado" com a situação no território britânico e exigiu uma explicação do governo espanhol sobre as propostas, disse o porta-voz do premiê nesta segunda-feira.

O ministro das Relações Exteriores espanhol, José Manuel García-Margallo, sinalizou uma posição mais dura sobre a questão no domingo, dizendo que "a festa acabou". Ele aparentemente se referia aos anos de políticas mais suaves sobre Gibraltar por parte do governo socialista anterior.

O governo espanhol considera cobrar 50 euros (66,42 dólares) pelo cruzamento da fronteira, realizar um investigação fiscal de cidadãos de Gibraltar que possuem propriedades na Espanha e fechar o espaço aéreo a aviões que sobrevoam a Espanha para pousar no aeroporto do território.

A Espanha disputa com a Grã-Bretanha a soberania sobre Gibraltar, um território no extremo sul espanhol que abriga cerca de 30 mil pessoas e cuja economia é na maior parte formada por bancos internacionais, empresas de jogos de azar na Internet e turismo. Gibraltar está sob domínio britânico há 300 anos.

Tensões diplomáticas sobre o território cresceram há 10 dias, quando barcos de Gibraltar jogaram blocos de concreto ao mar para criar um recife artificial na entrada do Mediterrâneo. A Espanha alega que o recife pode bloquear a passagem de seus barcos pesqueiros.

O ministro-chefe de Gibraltar, Fabian Picardo, disse que as propostas eram uma "política de loucura" e que "o inferno vai congelar" antes de ele remover o recife das águas do território, cedido à Grã-Bretanha em 1713.

"Ele faz ameaças retóricas à la Coreia do Norte. Ele quase faz sentir como se estivéssemos ouvindo a política de Franco na década de 1950 e 60", disse Picardo à Sky News, referindo-se ao ditador fascista que governou a Espanha entre 1936 e 1975 e queria recuperar Gibraltar.

A Grã-Bretanha repetiu que não deixará a soberania do território ser comprometida. O porta-voz de Cameron disse que o embaixador espanhol em Londres havia sido convocado na sexta-feira para escutar as preocupações britânicas sobre a questão.

"Continuamos seriamente preocupados com os acontecimentos na fronteira entre Espanha e Gibraltar", disse o porta-voz a repórteres. "Estamos buscando uma explicação deles (do governo espanhol) sobre os relatos de que podem submeter Gibraltar a novas medidas."