15 de Julho, 2013 - 22:13 ( Brasília )

Geopolítica

CONFERÊNCIA NACIONAL “2003-2013: UMA NOVA POLÍTICA EXTERNA”


CONFERÊNCIA NACIONAL
“2003-2013: UMA NOVA POLÍTICA EXTERNA”

15 a 18 de julho de 2013 / Campus São Bernardo do Campo – UFABC
Grupo de Reflexão sobre Relações Internacionais (GRRI)


O Grupo de Reflexão sobre Relações Internacionais (GRRI), que reúne pessoas que estudam a política  externa e atuam no campo das relações internacionais, a partir de movimentos e organizações sociais, partidos políticos, organizações não-governamentais, instituições acadêmicas, de pesquisa e de governo, promoverá entre os dias 15 e 18 de julho a Conferência Nacional “2003-2013: Uma nova política externa”. O evento, que terá lugar no campus da Universidade Federal do ABC, será constituído por palestras, debates e oficinas com dirigentes governamentais, lideranças políticas, acadêmicos, representantes de organizações sociais e estudantes.

O objetivo é refletir sobre a política de relações exteriores do Brasil, em um mundo pautado por aguda crise econômica, por importantes mudanças geopolíticas e pelo enfraquecimento dos organismos multilaterais, ao mesmo tempo que pelo estabelecimento de novas parcerias políticas, econômicas e culturais por parte do governo brasileiro.

As relações internacionais, de forma inédita, passaram a fazer parte explícita da agenda política interna do Brasil nos últimos anos. Apesar de ter no governo federal seu agente principal, este destaque não se resumiu à extensa pauta diplomática oficial, que envolveu, entre outros tópicos, a abertura de mais de três dezenas de embaixadas e o estabelecimento de novas prioridades na cena mundial. O período caracterizou-se também por uma intensa diplomacia presidencial e pelo aumento do ativismo internacional de setores do mundo político, empresarial, sindical, acadêmico, cultural e social. O Itamaraty, que tinha sido vítima das políticas de “Estado Mínimo” aplicadas pelos governos anteriores,teve seu orçamento e quadro de pessoal reforçado.

A política externa teve dois eixos de atuação principais:

I. A busca de maior autonomia e protagonismo no plano internacional, que se manifestou, entre  outros tópicos, na oposição à invasão do Iraque; no apoio às negociações do Irã com a comunidade internacional, acerca de seu programa nuclear; no reconhecimento do Estado Palestino; na forte reação contra os golpes de Estado em Honduras e no Paraguai; na defesa da democratização das relações  globais, por exemplo, através da reforma e ampliação do Conselho de Segurança da ONU. Embora o governo tenha preservado as relações tradicionais do Brasil com os países centrais, desenvolveu um  intenso esforço em ampliar o leque de parcerias diplomáticas. Enfatizaram-se assim as relações Sul-Sul,  as coalizões com potências médias no âmbito do fórum India-Brasil-África do Sul (IBAS) e as atividades com os parceiros no grupo que ganhou a denominação de BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), bem como as relações com o continente africano.

II. A ênfase na integração regional, especialmente sul-americana. Tiveram prioridade os processos  de integração no continente, com o firme engajamento em iniciativas como a CELAC, a UNASUL, o Conselho Sul-Americano de Defesa; o MERCOSUL teve o número de integrantes ampliado e se buscou adicionar conteúdo social e político à sua dimensão eminentemente comercial. Além disso, tivemos a articulação de encontros como os da América do Sul com os países árabes e africanos.

Em resumo, o Brasil diversificou parcerias, abriu fronteiras comerciais e diplomáticas, interveio com  peso na cena mundial e tornou-se peça fundamental na geopolítica regional. Isto foi feito num contexto internacional de enormes desafios, marcado inicialmente pela tentativa dos Estados Unidos de implantarem a unipolaridade e, agora, marcado pela crise internacional do capitalismo.

Desenvolvida nestes cenários, a política externa ao longo dos últimos dez anos representa continuidades  e rupturas em relação a administrações anteriores e é objeto de um debate permanente.

 Setores vinculados a governos anteriores acusam a política externa dos últimos dez anos de “terceiro-mundismo” e “antiamericanismo”, em especial devido à ênfase nas relações Sul-Sul, na integração regional e na recusa de participar da ALCA. Outros setores assinalam a falta de diálogo entre a sociedade civil e o governo no tocante à política externa. Há também críticas frente a determinadas posições oficiais nos fóruns de direitos humanos e em negociações ambientais, aos incentivos dados à internacionalização de empresas brasileiras que teriam comportamento predatório em outros países, questionamentos ao papel das tropas brasileiras na missão de paz ao Haiti e à assinatura do acordo de livre-comércio entre o MERCOSUL e Israel. Questiona-se também a forte influência do agronegócio na definição da política externa comercial e na postura adotada nas negociações na OMC. E critica-se, por fim, os poucos recursos e a falta de arrojo da política de cooperação internacional.

Diante desse quadro plural, complexo e variado, mas convencidos do caráter globalmente positivo da  política externa adotada no período assinalado, nós abaixo-firmados convidamos os interessados para participar da Conferência Nacional “2003-2013: Uma nova política externa”.

Fazem parte do GRRI:

Adhemar Mineiro (DIEESE), Adriano Campolina (AAid Brasil), Alexandre Barbosa (USP), André Calixtre (IPEA), Artur Henrique Silva (CUT), Atila Roque (Amnesty Intl.), Audo Faleiro (Assessoria PEB-Planalto), Augusto Juncal (MST), Bianca Suyama (Articulação Sul), Carlos Ruiz (UEPB), Carlos Tibúrcio (CCF), Cristina Pecequilo (UNIFESP), Darlene Aparecida Testa (CUT), Deisy Ventura (USP), Dr. Rosinha (Deputado), Fabio Balestro (SRI - RS), Fátima Mello (FASE), Fernando Santomauro (CRI-Guarulhos), Giorgio Romano (UFABC), Graciela Rodriguez (Equit), Iara Pietricovsky (INESC), Igor Fuser (UFABC), Iole Ilíada (FPA), Jefferson Lima (JPT), João Felício (CUT), Joaquim Pinheiro (MST), Jocélio Drummond (ISP), Josué Medeiros (OPSA), Kjeld Jakobsen (IDECRI), Leocir Rossa (FMG), Letícia Pinheiro (IRI-PUC RJ), Luiz Antonio de Carvalho (MMA), Luiz Dulci (I. Lula), Luiz Eduardo Melin (BNDES), Marcelo Zero (Liderança do PT no Senado), Marcos Cintra (IPEA), Maria Regina Soares de Lima (UERJ/OPSA), Maria Silvia Portella de Castro (CUT), Matilde Ribeiro (SEPPIR-PMSP), Michelle Ratton (FGV), Milton Rondó (Itamaraty), Moema  Miranda (IBASE), Mónica Hirst (Universidad de Quilmes), Nalu Faria (SOF), Nathalie Beghin (INESC), Paulo Vannuchi (Instituto Lula), Pedro Boccal (MST), Rafael Freire (CSA), Renata Reis (MSF-Brasil), Ricardo Azevedo (Assessoria PEB-Planalto), Roberto Amaral (PSB), Ronaldo Carmona  (USP), Rossana Rocha Reis (USP), Rubens Diniz (IECINT), Salem Nasser (FGV), Sebastião Velasco  (UNICAMP), Sergio Godoy (FSA), Sergio Haddad (Ação Educativa), Silvio Caccia Bava (Inst. Polis), Terra Budini (SRI-PT), Tudi Lucilene Binsfeld (CONTRACS), Tullo Vigevani (CEDEC), Valter  Pomar (PT), Valter Sánchez (TVT), Ana Toni (GIP), Mauricio Santoro (AI-Brasil), Ricardo Alemão Abreu (SRI / PCdoB), Camila Asano (CONECTAS), Juliano Aragusuku (UNICAMP), Gilberto Maringoni (UFABC), Vera Massagão (Ação Educativa), Vicente Trevas (SRI – Prefeitura SP).

Programa

19h00 – Sessão de abertura

Prof. Dr.Hélio Waldmann, reitor da Universidade Federal do ABC (UFABC)
Luiz Marinho, presidente do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC
Iole Ilíada Lopes, vice-presidenta da Fundação Perseu Abramo (FPA), representando o Grupo de Reflexão sobre Relações Internacionais (GR - RI)
Local: Auditório San Tiago Dantas

20h00 - Conferência: Próximos anos: cenários e desafios da Política Externa Brasileira
Embaixador Antonio Patriota, ministro das Relações Exteriores
Coordenação: Marcio Pochmann, presidente da Fundação Perseu Abramo
Local: Auditório San Tiago Dantas
21h00 – Recepção de boas vindas

 

16 de julho de 2013 - terça-feira

09h30 Painel 1: 2003-2013 - O Brasil frente aos grandes desafios globais
Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães, ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos (2009/2010) e secretário Geral do Itamaraty (2003/2009) no governo do presidente Lula
João Pedro Stedile, coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra/MST
Paulo Fagundes Vizentini, coordenador do Núcleo de Estratégia e Relações Internacionais (Nerint) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul/UFRGS
Coordenação: Matilde Ribeiro, secretária adjunta da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura Municipal de São Paulo
Local: Auditório San Tiago Dantas

14h00 Painel 2: 2003-2013 - Avanços, impasses e desafios da integração
Maria Regina Soares de Lima, professora de Ciência Política e Relações Internacionais da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (IESP/UERJ)
Marco Aurélio Garcia, assessor-chefe da Assessoria Especial da Presidenta da República
Valter Pomar, secretário executivo do Foro de São Paulo e membro do Diretório Nacional do PT
Coordenação: Renato Martins, professor da Universidade Federal da Integração Latino-americana (Unila)
Local: Auditório San Tiago Dantas

18h00 Painel 3: 2003-2013 - A Política Externa Brasileira e a crise internacional
Adhemar S. Mineiro, economista e técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE)
Luiz Eduardo Melin de Carvalho e Silva, diretor da Área Internacional e de Comércio Exterior do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES)
Luiz Gonzaga Belluzzo, professor titular do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
Coordenação:Virgínia Barros, presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE)
Local: Auditório San Tiago Dantas

20h30 Conferência: 2003 - início de uma Política Externa “altiva e ativa”
Embaixador Celso Amorim, ministro da Defesa, ex-ministro das Relações Exteriores
Coordenação: Vitor Emanuel Marchetti Ferraz Junior, professor, coordenador do Bacharelado de Políticas Públicas/UFABC
Local: Auditório San Tiago Dantas

 
17 de julho de 2013 - quarta-feira

09h30-12h30 - Mesas simultâneas
Mesa 1: Política Externa Brasileira e Defesa
Antonio Jorge Ramalho da Rocha, diretor do Instituto Pandiá Calógeras do Ministério da Defesa
André Martin, professor livre docente de Geografia Política da Universidade de São Paulo/USP
Roberto Amaral, primeiro vice-presidente e coordenador de Relações Internacionais do Partido Socialista Brasileiro (PSB)
Coordenação:Cristina Soreanu Pecequilo, professora de Relações Internacionais da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Local: anfiteatro Maria José de Castro

Mesa 2: Cooperação internacional para o desenvolvimento
Vicente Carlos y Plá Trevas, secretário adjunto de Relações Internacionais e Federativas da Prefeitura de São Paulo/SP
Letícia Pinheiro, professora de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ)
Iara Leite, pesquisadora associada do Articulação SUL
Coordenação: Milton Rondó Filho, coordenador-geral de Ações Internacionais de Combate à Fome do Ministério das Relações Exteriores
Local: anfiteatro Olga Benário

Mesa 3: A Política Externa Brasileira e as novas coalizões internacionais
Graciela Rodriguez, coordenadora do Instituto EQUIT - Gênero, Economia e Cidadania Global, integrante da Rede Brasileira pela Integração dos Povos (REBRIP)
EmbaixadorGuilherme de Aguiar Patriota, assessor especial da Assessoria Especial da Presidenta da República
Monica Hirst, professora titular de Relações Internacionais da Universidad Nacional de Quilmes, Argentina
Coordenação:Coordenação: Kjeld Jakobsen, consultor em Cooperação e Relações Internacionais
Local: anfiteatro Sérgio Vieira de Mello

Mesa 4: A Política Externa Brasileira e o Meio Ambiente
Francisco Gaetani, secretário executivo do Ministério do Meio Ambiente
Iara Pietricovsky, atriz, antropóloga, membro do Colegiado do Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC)
João Paulo Candia Veiga, professor de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP)
Coordenação: Robson Fórmica, membro da coordenação do Movimento Nacional dos Atingidos por Barragens/MAB
Local: anfiteatro Josué de Castro

Mesa 5: A Política Externa Brasileira vista pelos Países Vizinhos
Aldo Ferrer, professor emérito da Universidade de Buenos Aires, ex-ministro da Economia, Argentina
Damián Osta, gerente geral do jornal La Diaria, Uruguai
Gustavo Codas, economista, ex-diretor geral paraguaio da Itaipu Binacional, Paraguai
Coordenação: Gonzalo Berrón, diretor de projetos da Fundação Friedrich Ebert (FES)
Local: Auditório San Tiago Dantas

14h00-17h00: Mesas simultâneas

Mesa 6: A Política Externa Brasileira, comércio internacional, investimentos e assimetrias

Giorgio Romano, professor, coordenador do Curso de Relações Internacionais da UFABC
Marcos Antonio Macedo Cintra, técnico em planejamento e pesquisa do IPEA
Nivaldo Santana, vice-presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)
Coordenação: Michelle Ratton, professora da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FVG)
Local: anfiteatro Olga Benário

Mesa 7: A Política Externa Brasileira e os Entes Federativos

Mónica Salomón, professora de Relações Internacionais do departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Paula Ravanelli, assessora especial da subchefia de Assuntos Federativos da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República
Silvio Caccia Bava, diretor e editor-chefe do Le Monde Diplomatique/Brasil
Coordenação: Oswana Maria F. Fameli, secretária de Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Trabalho da Prefeitura de Santo André/SP
Local: anfiteatro Sérgio Vieira de Mello

Mesa 8: Política Externa Brasileira, Soberania e Direitos Humanos

Camila Asano, representante da Conectas no Comitê Brasileiro de Direitos Humanos e Política Externa
Maria do Rosário, ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República
Rossana Rocha Reis, professora do Departamento de Ciência Política e Instituto de Relações Internacionais/USP
Coordenação: Carlos Ruiz, professor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
Local: anfiteatro Josué de Castro
Mesa 9: A Política Externa Brasileira e as relações com a África
EmbaixadorPaulo Cordeiro, subsecretário-geral Político III do Ministério das Relações Exteriores
Eli Alves Penha, professor de geografia política da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)
Gilberto Leal, membro da Coordenação Nacional de Entidades Negras (Conen)
Coordenação: Vera Rodrigues, antropóloga, professora adjunta no Instituto de Humanidades e Letras da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab)
Local: anfiteatro Maria José de Castro

Mesa 10: A Política Externa Brasileira e a relação com a Sociedade Civil

Deisy Ventura, professora de Direito Internacional do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP)
Fátima Mello, diretora da FASE-Solidariedade e Educação e coordenadora da REBRIP
Murilo Komniski, chefe da Assessoria Internacional da Secretaria Geral da Presidência da República
Coordenação:Rubens Diniz, diretor executivo do Instituto de Estudos Contemporâneos e Cooperação Internacional/IECint
Local: Auditório San Tiago Dantas

Mesa 11: A Política Externa Brasileira e o Oriente Médio

Carlos Oliveira, chefe da divisão do Oriente Médio do Ministério das Relações Exteriores
Emir Mourad, secretário geral da Federação Árabe Palestina do Brasil (FEPAL)
Salem Nasser, professor de Direito Internacional da Escola de Direito de São Paulo (FGV)
Coordenação: Paulo Farah, diretor da Biblioteca e Centro de Pesquisa América do Sul-Países Árabes (Bibliaspa)
Local: sala 203, bloco alfa

Mesas de Diálogo 18h00 - 20h00:

Mesa 1: A Política Externa Brasileira: um diálogo com partidos do Foro de São Paulo
Renato Rabelo, presidente do Partido Comunista do Brasil (PCdoB)
Rui Falcão, presidente do Partido dos Trabalhadores (PT)
representante do PSB
representante do PDT
Coordenação: Gilberto Maringoni, professor adjunto de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC (UFABC)
Local: anfiteatro Olga Benário

Mesa 2: As redes sindicais e a política externa brasileira
João Cayres, secretário Geral e de Relações Internacionais da Confederação Nacional dos Metalúrgicos/CNM
Fábio Lins, secretário de Relações Internacionais, Confederação Nacional dos Químicos /CNQ.
Manoel Messias Melo, secretário de Relações Internacionais do Ministério do Trabalho
Coordenação:Jefferson José da Conceição, secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo da Prefeitura de São Bernardo do Campo/SP
Local: anfiteatro Maria José de Castro

 

18 de julho de 2013 - quinta-feira

09h00 Mesa de Diálogo 3: O futuro da Política Externa Brasileira: desafios e perspectivas

Artur Henrique, presidente do Instituto de Cooperação da CUT e diretor da Fundação Perseu Abramo
Jackson Schneider, vice-presidente executivo da Embraer S. A.
Senador Inácio Arruda, membro da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional do Senado Federal
Deputado Nelson Pellegrino, presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados
Sebastião Velasco, professor titular de Ciência Política e de Relações Internacionais (UNICAMP)
Vera Masagão Ribeiro, diretora executiva da Associação Brasileira de ONGs/ABONG
Coordenação:Luiz Dulci, diretor do Instituto Lula
Local: Auditório San Tiago Dantas

15h00 Palestra Brasil no mundo: mudanças e transformações

Luiz Inácio Lula da Silva, presidente de honra do Instituto Lula, ex-Presidente da República Federativa do Brasil

Coordenação: Klaus Capelle, Pró-Reitor de Pesquisa da UFABC
Local: Auditório San Tiago Dantas
17h00 – Encerramento

 

Local:Campus São Bernardo da Universidade Federal do ABC
Rua Arcturus, 03 - Jardim Antares São Bernardo do Campo

Conferências:Auditório

Mesas simultâneas e de diálogo: Salas

Inscrições e informações: www.conferenciapoliticaexterna.org.br
Taxa de inscrição:  R$ 20,00 (certificado de presença, almoços e material da Conferência)