26 de Junho, 2013 - 09:30 ( Brasília )

Geopolítica

EUA e Rússia não chegam a acordo sobre conferência de paz síria


Os Estados Unidos e a Rússia concluíram nesta terça-feira o segundo encontro preparatório para uma Conferência de Paz para a Síria sem um acordo sobre quando e nem como realizá-la. As negociações com relação a esse tema "continuam", afirmou o vice-ministro de Relações Exteriores da Rússia, Gennady Gatilov, na saída de uma reunião com seu colega dos Estados Unidos, Wendy Sherman, na sede da ONU em Genebra.

"Temos ainda diferenças sobre, por exemplo, se o Irã deve participar desta conferência. Do nosso ponto de vista, sua participação é necessária porque o Irã tem um papel importante em nível regional e pode fazer uma contribuição positiva ao conflito na Síria", disse o vice-ministro aos jornalistas.

Sobre as delegações que o governo sírio e a oposição tinham previsto enviar, Gatilov sustentou que é um assunto que também ficou pendente. A razão é por enquanto que a parte oficial anunciou a disposição para assistir e enviar uma delegação representativa, mas do lado da oposição este processo ainda está pendente, acrescentou.

Os Estados Unidos, por sua parte, manifestaram durante a reunião que estão trabalhando com os grupos sírios de oposição nesse sentido."Para nós, o mais importante é que a delegação da oposição seja representativa e composta por todos os maiores grupos da oposição", indicou Gatilov. Só cumprindo este requisito é possível esperar o início de um diálogo construtivo entre a representação oficial e opositora, acrescentou.

A ONU emitiu um comunicado no qual assinala que as conversas de hoje foram centradas em "garantir que a conferência sobre a Síria possa acontecer com as melhores possibilidades de êxito" e que para isso, os responsáveis máximos da diplomacia da Rússia e dos Estados Unidos se reunirão em breve.

O secretário de Estado americano, John Kerry, e o ministro russo de Relações Exteriores, Serguei Lavrov, aproveitarão na próxima semana uma cúpula entre Rússia e os países da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean) para tentar superar os obstáculos para a realização da conferência de paz durante uma reunião em Brunei.