23 de Abril, 2013 - 12:34 ( Brasília )

Geopolítica

Coreia do Norte quer ser reconhecida como Estado nuclear, EUA se negam

EUA se negam a reconhecer Coreia do Norte como potência nuclear

A Coreia do Norte reiterou nesta terça-feira sua exigência de ser reconhecida como uma potência nuclear, afirmando que este é um pré-requisito para iniciar um diálogo com os Estados Unidos.

Um comentário no jornal oficial Rodong Sinmun rejeitou como "totalmente inaceitável" uma exigência americana de que a Coreia do Norte se comprometa a abandonar seu programa de armas nucleares e mísseis antes do início das negociações.

Qualquer reunião na mesa de negociações deve ser entre "Estados com armas nucleares", afirmou este jornal norte-coreano. Os Estados Unidos afirmaram claramente que jamais aceitarão a Coreia do Norte, que realizou seu terceiro teste nuclear em fevereiro passado, como uma potência nuclear.

Após um mês de escalada da tensão militar na Península Coreana, a Coreia do Sul, os Estados Unidos e a Coreia do Norte começaram a insinuar uma possibilidade de diálogo. No entanto, até o momento a maior parte de sua energia está dedicada a rejeitar as condições prévias da outra parte.

Durante uma viagem a Seul, Pequim e Tóquio no início deste mês, o secretário de Estado americano, John Kerry, afirmou que Pyongyang deve provar primeiro sua seriedade quando fala de controlar seu programa nuclear. A Coreia do Norte respondeu pedindo que a ONU retirasse suas sanções e solicitando o fim de todos os futuros exercícios militares conjuntos de Estados Unidos e Coreia do Sul.

A Coreia do Norte insistiu na terça-feira em ser reconhecida como uma potência nuclear, algo que os EUA imediatamente rejeitaram como sendo "nem realista nem aceitável".

Após semanas de tensão na península da Coreia, incluindo ameaças norte-coreanas de uma guerra nuclear, Pyongyang busca nos últimos dias pelo menos iniciar um diálogo preliminar com seus inimigos Washington e Seul.

O jornal norte-coreano Rodong Sinmun disse que o país considera inaceitáveis as condições impostas por EUA e Coreia do Sul para o diálogo -que a Coreia do Norte desmantele suas armas nucleares e suspenda seus lançamentos de mísseis.

"Se a RDPC (sigla oficial do país) se sentar à mesa com os EUA, precisa ser um diálogo entre Estados com armas nucleares, não um lado tentando forçar o outro a desmantelar as armas nucleares", disse o jornal.

Os EUA imediatamente rejeitaram reconhecer o status nuclear norte-coreano, e ministros de Relações Exteriores da UE criticaram Pyongyang por desenvolver armas nucleares e mísseis balísticos, e defenderam discussões "críveis" acerca de desnuclearização.