16 de Abril, 2013 - 11:32 ( Brasília )

Geopolítica

Coreia do Norte rejeita diálogo 'humilhante' com Washington


A Coreia do Norte rejeitou nesta terça-feira um diálogo "humilhante" com os Estados Unidos e declarou que só negociará se Washington abandonar sua política "hostil" e as ameaças nucleares.

"Não nos opomos ao diálogo, mas não podemos nos sentar frente a frente na humilhante mesa de negociações com um interlocutor que agita uma ameaça nuclear", indicou um porta-voz do ministério das Relações Exteriores em um comunicado enviado à agência de notícias oficial.

"Enquanto os Estados Unidos prosseguirem com sua política hostil e sua chantagem nuclear, só poderá existir um diálogo sincero quando a Coreia do Norte tiver totalmente preparada sua dissuasão nuclear para impedir uma guerra nuclear", completou o porta-voz.

O comunicado é uma resposta ao pedido de diálogo feito na segunda-feira pelo secretário de Estado americano, John Kerry, para reduzir a tensão na Península Coreana das últimas semanas.

"Estados Unidos seguem aberto a negociações honestas e confiáveis sobre a desnuclearização, mas bola está no campo de Pyongyang", disse Kerry na segunda-feira em Tóquio.

Retaliação

O Exército norte-coreano deu um "ultimato" ao vizinho do sul nesta terça-feira (pela hora local), prometendo lançar um ataque "inesperado" caso as atividades hostis à Coreia do Norte continuem na península. O alerta foi feito depois que manifestantes em Seul queimaram, na segunda-feira, imagens do fundador da Coreia do Norte, Kim Il-Sung, de seu filho, Kim Jong-Il, e de seu neto e atual líder do país, Kim Jong-Un.

O ato coincide com as festividades nacionais na Coreia do Norte pelo 101º aniversário do nascimento de Kim Il-Sung, data reverenciada como "O dia do sol". "Todo o governo e o povo da DPRK (Coreia do Norte) estão fervilhando com um forte ressentimento por esse monstruoso ato criminoso", declarou o Comando Supremo do Exército, em nota divulgada pela agência oficial de notícias norte-coreana.

No "ultimato", o governo declara que "nossa ação retaliatória começará sem aviso prévio, a partir de agora, já que um criminoso ato triplamente amaldiçoado de ferir a dignidade da liderança suprema da DPRK está sendo abertamente praticado no coração de Seul, sob o patrocínio das marionetes do governo".

A nota acrescenta que as Forças Armadas "iniciarão imediatamente suas corretas ações militares para mostrar como o governo e o povo da DPRK valorizam e protegem a dignidade da liderança suprema". "A demonstração militar das revolucionárias Forças Armadas da DPRK será um poderoso golpe de marreta em todas as forças hostis que ferem a dignidade da liderança suprema da DPRK".?