04 de Abril, 2013 - 16:42 ( Brasília )

Geopolítica

Tambores de Guerra - Compare as forças militares da Coreia do Norte e da Coreia do Sul


Em decorrência da mais recente troca de farpas entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul, muito tem se falado sobre a capacidade nuclear de ambos os países e sobre os cenários que emergiriam em caso de um eventual conflito armado. Com auxílio de agências internacionais e relatórios de organizações que estudam movimentos militares, o Terra preparou uma comparação do poderio militar de cada país. 

Apesar de a Coreia do Norte ser o país mais fechado do mundo, há estimativas consideradas confiáveis sobre o tamanho de seu Exército e sobre sua capacidade militar, ainda que a fonte primordial de informações desse tipo de levantamento sejam os serviços de inteligência sul-coreanos.

Um dos principais estudos é o relatório anual elaborado pelo Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS), com sede em Londres, cuja última edição traz números referentes a 2011. O órgão aponta que a Coreia do Norte tem uma força militar composta por cerca de 1,2 milhão de homens, sendo que 1 milhão deles seriam vinculados às forças terrestres, 60 mil à Marinha e 110 mil à Força Aérea. O país ainda teria entre 5 milhões e 7,7 milhões de reservistas. A Coreia do Sul, por sua vez, teria uma força terrestre de entre 560 mil e 655 mil homens, 63 mil ligados à Marinha e 64,7 mil vinculados à Força Aérea. Além disso, contaria com entre 3 milhões e 4,5 milhões de reservistas.

Além de uma vantagem em termos de pessoal, a Coreia do Norte também teria superioridade numérica em equipamento militar em diversas áreas. Seus tanques seriam 4,1 mil, contra 2,4 mil sul-coreanos. Suas unidades de artilharia e defesa antiaérea seriam 32,1 mil, contra 11,7 mil do Sul. Em termos de aviões de combate ativos, a Força Aérea norte-coreana teria 620, contra 460 sul-coreanos. Já em relação a navios de guerra, a vantagem da Coreia do Norte seria de 386 para 130. O país também teria 70 submarinos contra 23 sul-coreanos. A Coreia do Sul teria supremacia em termos de helicópteros, 680 para 300, e veículos blindados, 2,6 mil para 2,5 mil.

É preciso salientar que há estudos que apresentam divergências, apesar de também apontarem vantagem numérica em termos de pessoal e de equipamento para os norte-coreanos. O Global Security, outra organização que faz o acompanhamento de Exércitos mundiais, aponta, por exemplo, que a Coreia do Sul possui 47 navios de guerra contra apenas 8 do Norte. Os números para outras aéreas com vantagem do Norte também variam: 3,8 mil carros de combate norte-coreanos contra 2,7 mil do Sul; 24,2 mil peças de artilharia contra 8,3 mil; 570 aviões de combate contra 412; 26 submarinos contra 23. O Global Security também aponta supremacia norte-coreana em termos de helicóptero de ataque, 306 contra 42.

Em termos de gastos militares anuais, o balanço da IISS informa que os últimos dados disponíveis para a Coreia do Norte são referentes a 2008 e apontam que o país gastava US$ 8,2 bilhões anuais, o que representaria em 22% e 24% do PIB. Já a Coreia do Sul, com números de 2012, designaria US$ 30,8 bilhões anuais para as Forças Armadas, o que representaria 2,7% do seu PIB. 

Uma área que gera polêmica em relação a real capacidade norte-coreana é o seu arsenal de mísseis. O país diz que possui a capacidade de lançar mísseis capazes de conduzir armamento nuclear - já realizou três testes nucleares - e atingir o território dos Estados Unidos. Contudo, a maioria dos especialistas acredita que as Forças Armadas norte-coreanas ainda não são capaz de montar um dispositivo nuclear em um míssil balístico com possibilidade de alcançar bases ou o território americano. Já a Coreia do Sul está protegida pelo "guarda-chuva" dos Estados Unidos na área nuclear.

Arsenal norte-coreano é datado

Em entrevista ao Terra, a Global Security, entidade citada como fonte em diversos levantamentos sobre o poderio militar norte-coreano, aponta que o arsenal do país, apesar de vasto, é datado e que a maior parte de seu equipamento é baseada em designs soviéticos e chineses do período da Guerra Fria. O país pouco teria investido em inovação no desenvolvimento de armas convencionais.

Em relação a vantagem numérica do Exército da Coreia do Norte, o Global Security aponta que o país tem recursos muito limitados para treinamento e que estes, segundo a maioria das observações, seriam infrequentes e irregulares. 

De acordo com o Global Security, a Coreia do Norte teria um arsenal de 1.000 mísseis, da qual fariam parte entre 100 e 150 Scud-B, 300 Scud C, 350 Scud-ER e 200 No-dong-A. O organismo ainda abre a possibilidade de haver 20 mísseis No-dong-B, que é uma classificação temporária criada pela Global Security para identificar variações do míssil SS-N-6 SLBM da era soviética. 

A Global Security também afirma que as estimativas sobre o número de mísseis do país vêm dos serviços de inteligência da Coreia do Sul e de organizações afiliadas ao governo e ao aparato militar sul-coreano.


com Agência AFP