17 de Maio, 2011 - 11:00 ( Brasília )

Geopolítica

Os arquivos das FARC - O que os e-mails provam

O pacote de 5 700 mensagens encontradas no computador de Raúl Reyes, chefe das Farc morto em 2008, reforça as ligações do grupo com o Brasil, o Equador e a Venezuela

Comprovado
As Farc mandaram dinheiro para o Brasil Em pelo menos duas mensagens são relatadas transferências financeiras: “Vai por Western Union e eles podem pegar em qualquer escritório de Brasília”, diz um e-mail de 2001

Suspeita
As Farc doaram dinheiro ao PT

Fato é que a direção das Farc ficou preocupada com a reportagem de VEJA de 13 de março de 2005 que revelou investigações da Abin sobre uma suposta doação de 5 milhões de dólares à campanha de Lula, como comprova e-mail de Reyes um mês depois. Nele, o terrorista cita a denúncia e informa que pediu aos seus dois representantes no Brasil para se esconder

Comprovado
As Farc arrecadaram dinheiro no Brasil

Representantes dos terroristas organizavam eventos culturais com dinheiro público. Olivério Medina mantinha uma ONG com a finalidade de intermediar contratos. Em seus e-mails para Reyes, ele costuma usar a expressão “conseguir uns centavos” para se referir à comissão que seria repassada às Farc

Comprovado
O PT tem ligações com as Farc

O PT articulou a saída das Farc do Foro de São Paulo em 2001, mas as relações diretas com a narcoguerrilha continuaram. Em e-mail de 19 de junho de 2003, por exemplo, Rodrigo Granda, o chanceler do grupo, contou sobre um encontro no Equador com Paulo Ferreira, então secretário de relações internacionais do partido brasileiro. A conversa girou em torno de “prisões, narcotráfico e processo de paz” na Colômbia

Comprovado
As Farc financiaram a campanha de Rafael Correa, no Equador

Sob a promessa de serem reconhecidos como “forças beligerantes” e de ganharem uma participação em futuras empresas, líderes das Farc juntaram 400000 dólares para o candidato equatoriano em outubro de 2006

Revelado
O governo Chávez pediu às Farc para matar opositores

Em e-mail de 2006, Reyes descreveu uma conversa com um enviado de Chávez chamado Julio Chirinos, que lhe pedia para matar o ex-agente do serviço secreto venezuelano Henry Lopez Cisco. O opositor hoje vive exilado na Costa Rica

Comprovado
As Farc usaram o Brasil como base

Há, no pacote de mensagens, inúmeras referências ao uso do território brasileiro como esconderijo pelas Farc, para fazer propaganda do grupo e para arrecadar dinheiro. Em uma delas, de 28 de novembro de 2002, Ivan Marquez sugeriu a Raúl Reyes que se estabelecesse em Manaus, cidade considerada segura para os guerrilheiros

Revelado
Chávez se encontrou pessoalmente com Reyes

Em 2 de novembro de 2000, Reyes contou que teve dois encontros com Chávez, “um admirador das Farc-EP e em especial de Marulanda”. Chávez lhe prometeu um acordo de “troca de prisioneiros” com o governo colombiano

Revelado
As Farc tiveram acesso a combustível usado em bombas nucleares

Em 2007, um terrorista contou a Raúl Reyes que Belisário, um especialista em explosivos, tinha 8 quilos de urânio enriquecido. Cada quilo custava 6 milhões de dólares. A ideia era vender o material à Venezuela, com comissão para as Farc

Suspeita
Lula esforçou-se para impedir a extradição de terrorista

Em 29 de abril de 2006, Reyes descreveu um encontro entre o presidente brasileiro e Álvaro Uribe. Lula teria dito ao presidente colombiano que “não lhe entregaria o padre (Medina), porque estava sofrendo muita pressão dos partidos, dos sindicatos e de outras pessoas”. Uribe teria pedido a Lula que mantivesse Medina preso, ao menos, até o fim das eleições na Colômbia. Coincidência ou não, Medina recebeu o refúgio um mês depois da reeleição de Uribe

Revelado
TV apoiada pelo governo brasileiro empregava membros das Farc

Pelo menos três integrantes do grupo trabalharam na Telesul, que recebe ajuda logística e conteúdo do governo brasileiro. Dessa forma, garantiam a veiculação de documentários favoráveis às Farc

Comprovado
As Farc treinaram milícias chavistas

Em 2001, ítalo González afirmou ter ido à Venezuela para passar a experiência das Farc para as milícias bolivarianas. “Nesse mesmo dia se trabalhou, com nossa ajuda, um plano nacional para a criação de milícias na Venezuela”

Comprovado
As Farc fazem narcotráfico

Em e-mail de 2007, os narcoterroristas falaram da facilidade de seus companheiros serem pegos. Basta os agentes americanos “chegarem com propostas de comprar coca ou de vender armamento de todo tipo”

Comprovado
Cuba e Venezuela fundiram seus interesses externos

“Tino (deputado chavista) disse que a diplomacia cubano-venezuelana está em desespero porque Lula está a ponto de se perder, por causa da corrupção”, afirmou Ivan Márquez em e-mail de 22 de agosto de 2005 ao secretariado das Farc

Suspeita
As Farc compravam armas no Brasil

Além do trabalho de relações públicas, os embaixadores das Farc no país também queriam armas. “Juan Antonio e Camilo estão no Brasil. Como na Rússia, buscam contatos para a compra de armas”, diz documento de setembro de 2003.