COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Defesa

24 de Outubro, 2012 - 08:59 ( Brasília )

Brasil quer mais aeronaves não tripuladas em suas fronteiras


O Brasil encerrou quase duas semanas de manobras da Operação Ágata 6 para a defesa de suas fronteiras, com o uso de seus novos aviões não tripulados e a apreensão de 1,1 tonelada de drogas, informaram em 20 de outubro o Ministério da Defesa e a imprensa local.

“O sucesso da Operação Ágata é tamanho que a população nos pede para que se repita em outras ocasiões”, disse em 19 de outubro em Porto Velho, Brasil, o ministro Celso Amorim, segundo declarações divulgadas pelo Ministério da Defesa.

O ministro destacou a atuação de seus veículos aéreos não tripulados nas operações.

Amorim acompanhou durante dois dias a Operação Ágata 6, que envolveu 13 mil militares das Forças Armadas e outros 500 agentes públicos, atuando na fronteira com a Bolívia e o Peru, informou o ministério.

“Apenas na primeira semana de atividades da Operação Ágata 6 foram apreendidos 1,1 tonelada de droga pura, 14 veículos pesados, 221 embarcações e foram detidas oito pessoas”, informou o jornal O Estado de São Paulo.

O resultado definitivo da Operação Ágata 6 será divulgado nos próximos dias, anunciou o ministério.

Em junho de 2011, a presidente Dilma Rousseff lançou um plano estratégico que prevê a mobilização periódica nas fronteiras de contingentes militares apoiados por veículos blindados, aviões e lanchas para surpreender os traficantes.

Em agosto foi encerrada a Operação Ágata 5 nos limites com Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai, uma área de 3.900 quilômetros, que envolveu 17 mil militares. Em 15 dias as tropas detiveram 31 pessoas e apreenderam seis toneladas de drogas, segundo o Ministério da Defesa.

O Brasil compartilha 16 mil quilômetros de fronteiras, sendo 9 mil quilômetros fluviais, com Argentina, Bolívia, Colômbia, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai, Venezuela e a Guiana Francesa.

O ministro destacou que o reforço do controle de fronteiras é feito em coordenação com os países vizinhos e citou sua recente viagem à Bolívia para a doação de quatro helicópteros H-1H.