COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Defesa

03 de Maio, 2012 - 21:36 ( Brasília )

ÁGATA 4 - Esquadrão de Caça participa das operações na região norte


O Primeiro Esquadrão do Terceiro Grupo de Aviação (Esquadrão Escorpião) é uma das unidades da Força Aérea Brasileira (FAB) que participam da Operação Ágata 4 na região norte do país. Sediado em Boa Vista, o esquadrão opera os aviões Super Tucano, empregados no patrulhamento das fronteiras do país, com capacidade tanto de interceptação de voos ilícitos quanto na destruição de pistas.

“O Super Tucano A-29, de fabricação nacional, alia a grande precisão tanto na navegação quanto no emprego do armamento com o relativo baixo custo de operação. Então para as necessidades da Ágata 4, a aeronave se encaixa perfeitamente para o cumprimento da missão”, analisa o comandante do esquadrão, Tenente-Coronel Aviador Mauro Bellintani.

FAB conclui a fase de mobilização


Na última quarta-feira (2/05), uma carga de 8 mil litros de querosene de aviação foi levada para a cidade de Oiapoque no estado do Amapá. O transporte do combustível, que será utilizado pelos helicópteros do Exército, foi o último ato da fase de mobilização da Operação ÁGATA 4.

Desde o dia 21 de abril as aeronaves de transporte da FAB estão trabalhando para colocar todo o material necessário na área de operações. “Tudo está exatamente onde deveria estar e no prazo correto”, afirma o Coronel Aviador Wagner Giovanelli, responsável pela logística da Força Aérea na operação Ágata 4

Com 770 mil quilômetros quadrados a área da operação da ÁGATA 4 abrange uma das regiões mais inóspitas do País “Muitas das localidades onde atuaremos só tem acesso por via aérea”, explica o Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno, comandante da Força Aérea na Operação. “Por isso a importância da fase de mobilização”, conclui.

Entre o material transportado estão todos os equipamentos do Hospital de Campanha da Aeronáutica que está atendendo na calha do Rio Negro. E mais, material da Marinha do Brasil e da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), e passageiros Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), da Força Nacional, da Agência Nacional de Petróleo (ANP), do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e das Vigilâncias Sanitária e Agropecuária.

No esforço logístico a FAB utilizou aeronaves C-130 Hércules, C-105 Amazonas, C-95 Bandeirante e C-98 Caravan. Em conjunto, só na mobilização essas aeronaves transportaram, mais de 77 mil quilos de carga
.