COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Naval

19 de Setembro, 2011 - 12:23 ( Brasília )

Helicópteros da Marinha fiscalizam zonas de fronteira na Operação “Ágata 2”


A atuação da Marinha do Brasil na Operação “Ágata 2” vai além da Inspeção Naval nos rios e lagos da região. A bordo dos helicópteros UH-12 “Esquilo” e IH-6B “Jet Ranger III”, os militares apoiam as ações de fiscalização de embarcações pelas lanchas da Capitania dos Portos e, também, as tropas do Exército e os órgãos de segurança pública envolvidos na Operação.

O “Esquilo”, por exemplo, é utilizado para emprego em patrulhamento, missões de socorro e salvamento e de evacuação aeromédica.

São 3,5 mil km de área a ser percorrida pelas aeronaves nas regiões de fronteiras dos Estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. Só na cidade de Foz do Iguaçu (PR), na tríplice fronteira com o Paraguai e a Argentina, são cerca de 200 km de fronteira hídrica a ser fiscalizada pelos helicópteros e lanchas.

IH-6B “Jet Ranger III”, participa da Operação “Ágata 2”

Toda a Operação integra um efetivo de 7 mil homens das Forças Armadas e demais órgãos de segurança, prontos para agir 24 horas. O propósito da “Ágata 2” é combater o narcotráfico, contrabando de armas e munições, crimes ambientais, roubos de veículos, descaminho, evasão de divisas, entre outros delitos fronteiriços.

A Operação ‘Ágata 2’ atua fortemente nos crimes que mais preocupam a sociedade. Trabalhamos em conjunto de forma a otimizar nossos recursos operacionais e as ações de fiscalização e apoio. A operação é uma resposta à população que anseia por mais segurança”, disse o Capitão dos Portos da Capitania Fluvial do Rio Paraná, Capitão-de-Fragata Alberto José Pinheiro Carvalho.

Além da Marinha, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira, a Operação “Ágata 2” tem a participação da Secretaria da Receita Federal, do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional de Segurança, Agência Brasileira de Inteligência e de órgãos das Secretarias de Segurança Pública dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul.

Fonte: MD