COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Terrestre

18 de Outubro, 2016 - 13:00 ( Brasília )

CMO - A Fronteira Oeste

Exército Brasileiro destaca um de seus mais proeminentes generais para assumir o Comando Militar do Oeste, berço do SISFRON, e responsável pela fronteira cujo controle e fiscalização são determinantes para o combate à criminalidade que ameaça brasileiros


 

por Vianney Goncalves,Jr
Analista de Defesa

 
 

GenEx Villas Boas cumprimenta o GenEx Menandro, que assumiu o CMO. O GenEx Paulo Humberto ira comandar o Comando de Operações Terrestres. Foto - Edemir Rodrigues Gov MS


As atuais limitações no controle das fronteiras do Brasil tem repercussão direta no dia a dia de todos os brasileiros. Por fronteiras tão extensas, difíceis de serem integralmente monitoradas, ingressam no território nacional drogas, armas e contrabando. A causa da grande maioria das vidas perdidas em ações criminosas, das inúmeras famílias destroçadas pelos efeito devastador da dependência química, e da generalizada sensação de insegurança que assola o Brasil, tem exatamente aí uma origem comum: o crime transfronteiriço. Se os danos acima não podem ser mensurados, pois estão acima de qualquer preço, as perdas tangíveis, que dizem respeito à economia brasileira, custam muito caro aos cofres do país.


 

 
Com base em números consolidados, analisados de 2007 a 2015, as perdas diretas relacionadas aos crimes que têm como origem a transposição ilícita das fronteiras, os prejuízos totalizam cifras superiores a 90 bilhões de reais ao ano. Ou seja, as perdas provocadas ao Brasil pelos crimes transfronteiriços, só no ano passado, foram aproximadamente oito vezes maior que o investimento total necessário à exatamente promover a principal ferramenta para combatê-los, o Sistema de Monitoramento de Fronteiras, SISFRON.
 

 

O Inadiável Contingenciado
 
Orçado em 12 bilhões de reais, o SISFRON fortalecerá a capacidade de ação do Exército na faixa de fronteira do país, uma área de 1,2 milhão de quilômetros quadrados. Por esta razão, o SISFRON é considerado o maior sistema de monitoramento de fronteiras do mundo. Trata-se de um conjunto integrado de recursos tecnológicos, tais como sistemas de vigilância e monitoramento, tecnologia da informação, guerra eletrônica, e inteligência que, aliados a obras de infraestrutura, vão reduzir vulnerabilidades na região fronteiriça.
 

 
Projeto Piloto do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON - Arte - EB

O programa tem sofrido atrasos na execução de seu planejamento original, repetidamente, devido aos seguidos cortes aplicados na pasta da Defesa. A fase piloto do SISFRON contará com 68 antenas de comunicação e uma infovia.
 


Foto da passagem de comando ao GenEx Menandro pelo Gen Ex Paulo Humberto, com o Comandante do Exército Gen Ex Villas Boas. Presente também o ex-comandante do CMO GenEx Catão. Foto - Edemir Rodrigues Gov MS


Em solenidade realizada em Campo Grande, na noite do dia 14 Outubro 2016, presidida pelo Comandante do Exército, General-de-Exército Eduardo Dias da Costa VILLAS BÔAS, e com as presenças de autoridades civis e militares, o General-de-Exército PAULO HUMBERTO César de Oliveira passou o comando do CMO – Comando Militar do Oeste, ao General-de-Exército Gerson MENANDRO Garcia de Freitas. Na ocasião, o governador Reinaldo Azambuja se disse ansioso pelos avanços do SISFRON, e afirmou que todas as torres estão instaladas, mas que o sistema sofreu atrasos em virtude do contingenciamento federal. "É extremamente importante a presença dos militares na fronteira do Mato Grosso do Sul. Também é muito importante frisar a instalação do SISFRON, que integra toda a comunicação e dará um enorme ganho ao monitoramento de tempo real de toda a fronteira de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso", comentou o governador.


 
Estrutura de Comando do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON - Arte - EB


O General Menandro destacou a Fronteira Oeste como historicamente estratégica, e teceu considerações sobre a importância do Estado onde está estabelecido o Comando Militar do Oeste. "Não é só por ser o Mato Grosso do Sul o grande celeiro do país, um grande exportador, mas também por causa das belezas naturais que temos aqui, mas também a atenção às fronteiras. Desde o período colonial o Exército está aqui". As palavras do novo comandante refletem as recentes movimentações estratégicas do Exército Brasileiro. Enquanto assume um de seus mais prestigiados generais, o Comando Militar do Oeste, seu antigo comandante, General Paulo Humberto, segue para o COTER – Comando de Operações Terrestres, em Brasília (DF). Um alinhamento mais que ideal para a aceleração deste programa de fulcral importância aos interesses do Brasil e de cada um de seus cidadãos.
 

 
Perfil Realizador
 
Nascido em Resende (RJ), O General Menandro tem 62 anos e serviu em Mato Grosso do Sul como oficial de operações do 47º Batalhão de Infantaria, em Coxim. O novo comandante do CMO é um dos mais respeitados generais do Exército Brasileiro, tanto no meio militar, quanto no meio civil, e em especial, no âmbito do próprio Ministério da Defesa. Na qualidade de Chefe de Operações Conjuntas do EMCFA – Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, cargo que ocupava antes de assumir o CMO, repousa sobre sua cabeça considerável parte dos louros do êxito na realização dos Jogos Olímpicos Rio 2016.
 

 

Na CHOC, Chefia de Operações Conjuntas, Menadro foi responsável pelo comando e coordenação de mais de 22.000 homens e mulheres, que propiciaram a segurança das Olimpíadas, e a tranquila realização dos Jogos no Brasil. Todos os incidentes e potenciais ameaças foram superados sem alarde, aliás, a discrição é uma marca do General.



Outras coberturas especiais


PROSUPER

PROSUPER

Última atualização 12 DEZ, 16:30

MAIS LIDAS

Fronteiras