COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Aviação

15 de Agosto, 2011 - 00:10 ( Brasília )

OPERAÇÃO ÁGATA – FAB realiza emprego inédito de Aeronave Remotamente Pilotada


Uma Aeronave Remotamente Pilotada (ARP), modelo Hermes 450, é operada pela Força Aérea Brasileira (FAB), na Operação Ágata 1. Essa é a primeira vez que a ARP atua em missões reais. Ela está realizando ações de reconhecimento na região de fronteira entre o Brasil e a Colômbia.

Esta nova tecnologia permite que a FAB cumpra missões de reconhecimento aéreo, sem que os pilotos sejam expostos a adversidades, e com a possibilidade de transmissão das imagens geradas em tempo real para qualquer localidade do Brasil.

O 1º/12º Grupo de Aviação (GAV) é a primeira organização da FAB a operar uma Aeronave Remotamente Pilotada. A ARP possui 450 quilos de peso de decolagem, seis metros de comprimento e 10 metros de envergadura (da ponta de uma asa à outra). Voa a 110 km/h e atinge cerca de 5 mil metros de altitude. Suportando uma carga útil de 150 quilos, permanece em voo por mais de 15 horas e pode embarcar vários sensores simultaneamente. 

O vetor complementa os demais já operados pela FAB, como o R-99, R-35 e RA-1, ampliando a capacidade de reconhecimento aéreo. A ARP pode ser empregada em diversas operações, tanto na área civil, quanto na militar. Para fins militares, o equipamento pode realizar missões de reconhecimento e de busca e resgate, entre outras. Também pode ajudar na área de segurança pública, no controle de desmatamento e em operações de defesa civil.

A Operação Ágata 1, iniciada no dia 5 de agosto, visa intensificar o combate ao tráfico de drogas, contrabando e descaminho de armas e munições, extração de minerais e madeiras de forma ilegal, tráfico de animais silvestres, biopirataria e todos os demais delitos transfronteiriços.

DNTV

Operação Ágata - Destruição de Pista Clandestina Link