COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Defesa

14 de Junho, 2016 - 14:00 ( Brasília )

Operação Ágata 11 - Forças Armadas e órgãos de segurança pública iniciam as ações no centro-oeste


Correio de Corumbá
Assessoria de Imprensa 6º DN


A Operação Ágata 11 foi deflagrada pelo Ministério da Defesa, empregando as Forças Armadas, juntamente com os Órgãos de Segurança Pública, nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Na região, a Operação será comandada pelo General-de-Exército Paulo Humberto Cesar de Oliveira, sendo que o seu Centro de Operações funcionará no Comando Militar do Oeste, na cidade de Campo Grande.

As ações serão realizadas entre as cidades de Comodoro (MT) e Mundo Novo (MS), incluindo a hidrovia do Paraguai e seus afluentes, em uma extensão de aproximadamente 2500 Km, onde as Forças Armadas empregarão cerca de 3000 militares.

A Marinha do Brasil, nesta região, será representada pelo Comando do 6º Distrito Naval e quatro de suas Organizações Militares subordinadas. O Exército brasileiro, além do próprio Comando Militar do Oeste, contará com as suas três Brigadas subordinadas e localizadas na área de interesse. Já a Força Aérea Brasileira operará por meio do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA), com o apoio da Base Aérea de Campo Grande.

O Comando do 6º Distrito Naval, que responde pelas ações desencadeadas em todas as vias hidroviárias e em regiões terrestres lindeiras ao rio Paraguai, irá atuar, de maneira conjunta, com os seguintes meios e pessoal: Monitor Parnaíba; Navio-Transporte Fluvial Paraguassu; Navio-Transporte Fluvial Almirante Leverger; Navio de Apoio Logístico Fluvial Potengi; Navio-Patrulha Pirantini; Navio de Assistência Hospitalar "Tenente Maximiano"; Embarcações do Exército denominadas Forte Coimbra e Taquari, além das lanchas Guardian; duas aeronaves da própria Força Naval e; tropas do Grupamento de Fuzileiros Navais de Ladário, do 17º Batalhão de Fronteira e da 3ª Companhia de Fronteira.

Durante o período da Operação, serão realizadas Ações Cívico-Sociais em Cáceres (MT); nas regiões de difíceis acessos localizados nos municípios de Corumbá (MS) e Ladário (MS), Porto Murtinho (MS) e Ponta Porã (MS), com a finalidade de estimular a presença do estado em áreas carentes das regiões.

A Operação Ágata 11 será desenvolvida em ambiente interagências, contando com a intensa participação de várias agências governamentais, tais como: Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar e Polícia Civil dos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras (GGIFron), Receita Federal, Polícia Militar Ambiental, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA), Fundação Nacional do Índio (FUNAI), Agência Estadual de Defesa Sanitária, animal e vegetal, do Estado do Mato Grosso do Sul (IAGRO), Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Secretaria de Fazenda Estadual, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Departamento de Operações de Fronteira (DOF), Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público Militar (MPM).