COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Naval

04 de Junho, 2013 - 09:40 ( Brasília )

Marinha do Brasil protegendo nossas fronteiras


Seja na água, por terra ou no mar. A participação da Marinha do Brasil, durante a Operação “Ágata 7”, tem mostrado significativos resultados quando a ordem é “proteger nossas fronteiras”. Com o emprego de meios navais, aeronavais e de fuzileiros navais, esta Força visa coibir e reprimir crimes transfronteiriços e ambientais, do Oiapoque (AP) ao Chuí (RS), atuando há 14 dias, em conjunto com o Exército Brasileiro, a Força Aérea Brasileira e demais órgãos federais.

No sul do País

O Comando do 5º Distrito Naval atua nas atividades de inspeção naval e ação de presença com os destacamentos de fuzileiros navais, uma aeronave e duas embarcações que fiscalizam constantemente áreas estratégicas na região. Em paralelo com as atividades operativas, a Marinha promove, ainda, Ações Cívico-Sociais (ACISO), proporcionando atendimentos de saúde à população carente, bem como atividades em prol da sociedade.

Em Foz do Iguaçu (PR), a Capitania Fluvial do Rio Paraná (CFRP) iniciou uma reforma no prédio que será sede do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti).

No Chuí (RS), um mutirão social e do trabalho foi realizado, em conjunto com o exército, que proporcionaram, aos moradores locais, atendimento médico, exames e orientações odontológicas. Cerca de 1.200 pessoas foram atendidas.

Na área marítima, o Navio-Patrulha “Babitonga” inspecionou mais de 74 embarcações e apreensão de mais de 40 toneladas de pescado. A aeronave da Marinha do Brasil, UH-12 “Esquilo”, além de ser utilizada durante a patrulha naval, atua em missões de socorro, salvamento e evacuação aeromédica.

No Centro-Oeste do Brasil

O Comando do 6º Distrito Naval, desde o início da “Ágata 7”, realiza ativamente ACISO em creches e escolas, nas cidades de Corumbá e Ladário (MS). No total, quatro instituições foram beneficiadas e duas foram prontificadas.

Cerca de 60 militares, sob a supervisão de engenheiros da Marinha, realizam essas manutenções nos telhados e forros dessas instituições, além de troca de portas, reparos hidráulicos e elétricos, pintura e outros serviços.

As fiscalizações, inspeção e patrulha naval também estão intensificadas na região, com a atuação de meios navais, aeronavais e de fuzileiros navais em diversas áreas da região sul-mato-grossense.

Os Navios de Assistência Hospitalar (NAsH), conhecidos “Navios da Esperança”, levam às populações ribeirinhas, do norte do País, a atenção necessária à saúde e ao bem-estar. Os militares da Marinha chegam a lugares de difícil acesso e recebem em troca a gratidão de diversas comunidades.

O NAsH “Doutor Montenegro”, em conjunto com o Exército e a Força Aérea, realizaram Ações Cívico-Sociais (ACISO) e distribuíram mais de 32 mil medicamentos e três mil kits odontológicos. O NAsH disponibiliza, ainda, um mamógrafo para exames preventivos e diagnósticos de câncer.

O NAsH “Soares de Meirelles” além de realizar atendimentos gerais, conta com as especialidades de pediatria e ginecologia, realizanso 200 atendimentos médicos e 40 atendimento odontológicos diariamente.

O Navio “Oswaldo Cruz” realiza ACISO nas regiões ribeirinhas e, também, trabalha, em conjunto com as aeronaves da Marinha, em adestramentos de equipes de manobra e crache, bem como da estação de manobra e do controle de avarias.