COBERTURA ESPECIAL - Front Interno - Pensamento

03 de Dezembro, 2019 - 00:20 ( Brasília )

Comentário Gelio Fregapani - Recursos naturais e petróleo / Desemprego, Garimpo e Defesa



Comentário


Recursos naturais e petróleo
 
Durante a II Grande Guerra, o mundo entrou num processo acelerado de industrialização e logo após percebeu que estava criando uma dependência por recursos finitos: quer para produção de energia, quer para produção de alimentos ou de fabricação dos diversos produtos. Um desses recursos assumiu especial importância, o petróleo, que a partir de então seu controle passou a ser a causa fundamental de todas as guerras.

Nossa luta pelo desenvolvimento e controle desse recurso estava sendo bem sucedido apesar das pressões, das politicagens e dos roubos, que alcançaram níveis incalculáveis nos governos do PT. No governo atual, que nos enche de esperança, a produção vem aumentando rapidamente, mas o controle desse importante recurso vai escapando de nossas mãos, no caso isto acontece especialmente por causa do preço dos derivados do petróleo.
 
Poderíamos oferecer os combustíveis e demais derivados a preços mais em conta, mesmo mantendo grande lucro, mas a decisão de vender o petróleo ao preço internacional propicia que as distribuidoras deem preferência aos produtos de suas matrizes, o que juntamente com a abertura comercial alijam a Petrobras do nosso mercado, que deveria ser cativo.

A atuação do Presidente Jair Bolsonaro em menos de um ano pode ser comparada vantajosamente até aos melhores de seus antecessores. Merece não somente nosso aplauso como também o nosso apoio, mas entre tantas medidas lúcidas e necessárias que estão consertando o nosso País, não é de admirar que alguma possa ser inadequada como a comercialização dos seus seja feita ao preço internacional, pois é incontestável que a Petrobras poderia vender mais barato, ainda com grande margem de lucro e com isto dominaria o mercado. Por que não o faz, se isto beneficiaria toda a nação?

O benefício de tal medida não está só no transporte de carros e ônibus nem nos caminhões que transportam as cargas dos alimentos, matérias-primas, fertilizantes, etc, mas no desenvolvimento que provoca. Contudo, sem dar ouvidos à opinião pública, a atual gestão da Petrobrás vem implementando um processo gradual de enfraquecimento da companhia.

Todos os brasileiros sabem da importância da Petrobrás e a maioria tem orgulho do crescimento e do desenvolvimento social e econômico que a empresa traz para o País. São pessoas que reconhecem a presença da Petrobrás no seu dia-a-dia. Em consequência nós, brasileiros patriotas, na maioria apoiadora incondicional do Presidente, esperamos dentre outros problemas igualmente graves que sobre tempo para que se dedique a este.
 
Sabemos que isto desencadeará uma fortíssima oposição internacional, que mesmo não chegando à guerra não escaparemos de retaliações e sabotagem, mas havemos de as enfrentar juntos.

Desemprego, Garimpo e Defesa

O desemprego é o problema que mais maltrata a nossa população. Claro, a solução é o desenvolvimento, que é criado pelo aumento da produção. O aumento da produção é provocado pela demanda e a demanda é função dos recursos disponíveis e o garimpo cria esses recursos “do nada”, isto é Garimpo com orientação e fiscalização.  Simples assim!

O ouro de aluvião, mas também diamantes e outras tantas preciosidades existem em milhares de igarapés ao alcance de garimpeiros e cada um deles criará outros empregos entre os diversos fornecedores de material de garimpo, alimentos e muitas coisas mais. Os que forem bem sucedidos – e serão muitos, quando não se transformam em produtores comprando fazendas, hotéis e caminhões, dispersam imprevidentemente seus ganhos fazendo a mais eficaz distribuição de riquezas.

A nossa experiência nos indica que, se não pusermos obstáculos, uns dois milhões de pessoas procurarão os garimpos principalmente na fronteira norte (a mais ambicionada pelos estrangeiros), e estas riquezas ficariam aqui e não alimentando contrabandos. Vale lembrar ainda que quase todas as cidades do nosso interior iniciaram como garimpos e como efeito colateral propiciaram o povoamento da fronteira oeste garantindo a nossa soberania sobre aquelas terras sem fim. Simples assim!

Mas, simples assim sem problemas? Não dissemos isto. Certamente haveria grandes pressões do cartel do ouro, do establishment financeiro internacional e do Tin Brothers, que apelarão pelo fator meio ambiente. Não dirão que o dano é mínimo e que é reparado rapidamente pela natureza, que a médio prazo, os cuidados com o meio ambiente é um subproduto da riqueza nem que nada há de mais poluidor do que a miséria.

A oposição será forte, mas Deus abençoará o nosso esforço porque é justo.

Gelio Fregapani


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Mão Amiga

Mão Amiga

Última atualização 12 DEZ, 12:15

MAIS LIDAS

Front Interno