COBERTURA ESPECIAL - Modernização FAB - Aviação

15 de Agosto, 2018 - 10:50 ( Brasília )

Implantação da tecnologia BIM na elaboração de projetos é tema de workshop da CISCEA

O BIM é um processo que envolve a criação e utilização de um modelo, capaz de gerar informações referentes às decisões do projeto

Denise Fontes e Tenente João Elias

A Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA) promoveu um workshop para apresentar objetivos, metas e estratégias adotadas pela organização para implantação do BIM (do inglês, Building Information Modelling), na elaboração de seus projetos.

O BIM, em português Modelagem da Informação da Construção, é um processo que envolve a criação e utilização de um modelo capaz de gerar informações referentes às decisões do projeto.

Ele auxilia o profissional a projetar, construir e manter construções durante sua vida útil com maior qualidade e eficiência. O evento, realizado na quinta-feira (09), no auditório do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), no Rio de Janeiro (RJ), reuniu profissionais das Divisões Técnica, de Infraestrutura, de Tecnologia da Informação e da Assessoria de Gestão da Qualidade da CISCEA, além de representante do Instituto Militar de Engenharia (IME), do Exército Brasileiro.

De acordo com o chefe da Divisão de Infraestrutura da CISCEA, Major Aviador Wallace Gonçalves Teixeira, a principal finalidade do encontro foi esclarecer os caminhos a serem trilhados, a fim de obter êxito na implantação do BIM na Comissão e, consequentemente, no Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB). “Estamos fazendo um investimento que trará grandes benefícios para a Força Aérea Brasileira”, afirmou o oficial.

O gerente do Projeto BIM, Tenente Engenheiro Rogério José de Abreu, destacou a parceria com os profissionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do Paraná, para promover a capacitação do Grupo de Trabalho (GT) da CISCEA. “Eles implantarão as Provas de Conceito (POC) nas áreas de projeto, gestão de ativos e obras e, após dois anos, a plataforma será implantada no desenvolvimento dessas áreas na organização”, esclareceu o Tenente Abreu.

Durante o evento, os palestrantes esclareceram as fases do plano de implantação, a concepção do projeto, além de abordarem o processo de tomada de decisão colaborativa.

O coordenador do GT, Carlos Alexandre Dias, ressaltou que a adoção da plataforma trará importantes benefícios para a CISCEA. “Terá redução de erros e de desperdícios, facilitação na especificação e na orçamentação da obra, além de mais precisão no levantamento de quantitativos”, concluiu.

Fotos: Fábio Maciel

Encontro reúne elos do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro

A Assessoria de Segurança Operacional no Controle do Espaço Aéreo (ASEGCEA) promoveu uma reunião com os elos do Subsistema de Segurança do Controle do Espaço Aéreo (SEGCEA), no período de 6 a 9 de agosto, no Centro de Convenções Militares (CEMCOHA), em Salvador (BA).

O evento reuniu representantes de diversas unidades do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB), incluindo os cinco órgãos regionais do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA).

O objetivo foi apresentar as atividades de segurança operacional e o planejamento das atividades da ASEGCEA, bem como avaliar a sistemática de prevenção e investigação de incidentes de tráfego aéreo, compartilhando as dificuldades identificadas e as boas práticas adotadas pelas Seções de Investigação e Prevenção de Acidentes/Incidentes do Controle do Espaço Aéreo.



O chefe da ASEGCEA, Coronel Aviador Sérgio Roberto Rodrigues Silva, abriu o encontro e convocou os profissionais a se envolverem em todas as questões relacionadas à segurança operacional.

“Como órgão central do Subsistema de Segurança do SISCEAB, a ASEGCEA precisa participar de todas as atividades voltadas à prevenção de incidentes de tráfego aéreo, no fortalecimento da política e dos objetivos, no gerenciamento do risco, na garantia e promoção da segurança operacional”, disse.

A reunião teve início com uma apresentação do Major Alexandre Simões Lima, Especialista em Controle de Tráfego Aéreo, que mostrou o resultado da auditoria da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) na área de investigação de acidentes e incidentes aeronáuticos (AIG), realizada em março desse ano.

O Brasil, representado por integrantes do DECEA, do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) e da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), atingiu um índice de implementação efetiva de 94,72%.

Os assuntos abordados se desenvolveram em torno das soluções referentes ao Plano de Ação Corretiva da Auditoria da OACI, que são o aperfeiçoamento do sistema de reportes mandatórios de incidentes/acidentes e o uso de taxonomia de segurança operacional compatível com os demais estados-membros da OACI nos serviços de navegação aérea (ANS).

Foram discutidos, ainda, os temas dos programas de prevenção de cada regional e avaliadas as propostas para o desenvolvimento do SEGCEA com o objetivo de alcançar a melhoria dos serviços prestados pelo SISCEAB.

A ASEGCEA apresentou as principais atividades realizadas, como a participação na auditoria e no monitoramento contínuo da OACI, a investigação de incidentes de tráfego aéreo, a vistoria de segurança operacional, os indicadores e as metas de desempenho de segurança operacional, os fatores humanos e a reedição de normas do SEGCEA.

Durante o evento, cada Unidade apresentou suas atividades e necessidades, número de ocorrências, incidentes de tráfego aéreo em sua área de jurisdição e fatores contribuintes, além de vistorias nos provedores de serviços de navegação aérea (PSNA) subordinados, indicadores e atividades de prevenção e, por fim, as atividades de segurança operacional desenvolvidas.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Venezuela

Venezuela

Última atualização 19 SET, 18:00

MAIS LIDAS

Modernização FAB