COBERTURA ESPECIAL - Modernização FAB - Aviação

10 de Abril, 2015 - 09:10 ( Brasília )

FAB - Brigadeiro Chã é o novo responsável por projetos de reequipamento

Brigadeiro Chã está agora à frente de projetos como o KC-390 e o Gripen NG

O Brigadeiro do Ar Paulo Roberto de Barros Chã é o novo responsável por projetos de reequipamento da Força Aérea Brasileira, como o dos caças Gripen NG, dos aviões de transporte KC-390 e dos mísseis A-Darter. Ele substituiu o Brigadeiro do Ar José Augusto Crepaldi Affonso na presidência da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC). A solenidade de transmissão do cargo foi realizada nesta quinta-feira (09/04), no prédio do Comando da Aeronáutica, em Brasília (DF).

À frente da COPAC desde abril de 2013, o Brigadeiro Crepaldi foi responsável pela assinatura do contrato de aquisição dos 36 caças Gripen NG, em outubro de 2014. "Essa organização é uma referência em profissionalismo e motivação. Nós cultuamos a transparência, pois são muitos recursos públicos aplicados", afirmou. O militar, com doze anos de experiência na organização, assume agora a diretoria do Departamento de Produtos de Defesa do Ministério da Defesa.

O novo presidente da comissão, Brigadeiro Chã, estava à frente da equipe gestora do projeto de aquisição dos caças. Com 35 anos de serviço, ele já foi Comandante da Base Aérea de Florianópolis (BAFL), Comandante do Esquadrão Phoenix (2º/7º GAV) e gerente do projeto de modernização dos aviões de patrulha P-3AM, na COPAC.

A COPAC é subordinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). Sua origem remonta ao projeto do jato A-1, desenvolvido nos anos 80 em uma parceria do Brasil com a Itália. Atualmente, a unidade é responsável por aproximadamente 80% da verba de investimento do Comando da Aeronáutica. Além dos projetos já citados, a COPAC trabalha em iniciativas, como a aquisição de
50 helicópteros EC725 para as três Forças Armadas e 12 helicópteros de ataque AH-2 para a FAB, o desenvolvimento do míssil MAR-1, a modernização dos aviões-radar E-99 e dos caças F-5 e A-1, a compra de um sistema de defesa antiaérea de médio alcance e dos aviões de busca SC-105, entre outras.

O corpo funcional é formado por militares e civis das áreas de aviação, intendência, engenharia, serviços jurídicos e contabilidade, além de especialistas de aeronáutica. Representantes da Marinha do Brasil e do Exército também atuam na COPAC, que desenvolve suas atividades em parceria com instituições, como a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e os Ministérios das Relações Exteriores (MRE), Ciência e Tecnologia (MCT), e Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).



Outras coberturas especiais


UNODC

UNODC

Última atualização 19 SET, 12:30

MAIS LIDAS

Modernização FAB