COBERTURA ESPECIAL - Eventos - Aviação

15 de Julho, 2016 - 10:30 ( Brasília )

FAB faz no Rio simulação de abordagem de aeronave


O esquema de controle e defesa do espaço aéreo do Rio durante a Olimpíada foi apresentado nesta quinta-feira (14) pela FAB. Serão mais de 15 mil militares e 80 aeronaves envolvidos nos Jogos, como aviões de caça e helicópteros.

Antes de uma situação extrema (que seria o disparo), a aeronave de caça da FAB se aproxima para verificar se o piloto da aeronave desconhecida está perdido ou se é realmente um caso suspeito. Na aproximação, o copiloto exibe uma placa informando a frequência que o outro piloto tem que colocar para se comunicar com o piloto de caça da FAB.

Em uma área denominada "branca", que abrange de Angra dos Reis até Cabo Frio, e do Oceano Atlântico até quase com a divisa com o estado de Minas Gerais, estarão proibidos voos de treinamento, instrução e turísticos, entre outras restrições.

Também estarão proibidas operações de paraquedas, parapente, balões, dirigíveis, ultraleves, aeronaves experimentais, asas-deltas, pulverização agrícola, reboque de faixas, aeromodelismo, foguetes e veículos aéreos remotamente pilotados.

Entre os dias 3 e 22 de agosto, e 7 a 19 de setembro, haverá a ativação da área "amarela" nos dias de competições esportivas. Essa área inclui os aeroportos do Galeão e Santos Dumont, indo de Niterói até a Praia de Grumari, e do Oceano Atlântico até Nova Iguaçu.

As áreas "vermelhas" serão ativadas sobre o Parque Olímpico da Barra, o Complexo de Deodoro, Maracanã, Engenhão e Copacabana. Nessas regiões só estarão permitidas aeronaves com autorização expressa do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Condabra), incluindo a das Forças Armadas, órgãos de segurança pública, chefes de estado e autoridades públicas, aeronaves-ambulância e aquela utilizadas pelas organizações dos eventos esportivos.

Foi nesta região que uma outra aeronave, também da Força Aérea Brasileira, sobrevoou nesta quinta, decolando da base aérea de Santa Cruz, na Zona Oeste. Durante a intercepção o piloto da FAB entra em contato com o piloto da aeronave "desconhecida" e dá as instruções. Caso elas não sejam obedecidas, pode ser disparado um tiro de exclusão.

Restrições de voos no espaço aéreo do Rio começam dia 24¹

As restrições no espaço aéreo do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos começam no dia 24 deste mês. Elas fazem parte do esquema de controle e defesa detalhado pela Força Aérea Brasileira, nesta quinta-feira (14). Mais de 15 mil militares estão envolvidos na operação, que utilizará 80 aeronaves.

As restrições são divididas em áreas brancas, amarelas e vermelhas. A área branca, que abrange grande parte do estado, será acionada no período de 24 de julho a 22 de agosto. Nessa área estarão proibidos voos de treinamento, instrução e turísticos, dentre outras restrições.

No dia 3 de agosto, quando começam os jogos de futebol, será ativada a área amarela, que inclui os aeroportos. Apenas aeronaves devidamente autorizadas poderão trafegar.

A área de maior restrição, a vermelha, entrará em vigor nos momentos de competição sobre os complexos esportivos. Somente aeronaves com autorização expressa do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro poderão sobrevoá-la. Para proteger a Vila dos Atletas, na região da Barra da Tijuca será ativada a área vermelha 24 horas por dia.

A FAB poderá interceptar qualquer aeronave que desobedeça as regras, com autorização, inclusive, de tiro contra aviões hostis. O chefe do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro, major brigadeiro do ar Jordão, afirma, no entanto, que medidas extremas serão utilizadas como último recurso.

Segundo o comandante, o conceito e a estrutura adotados para os Jogos já foram utilizados em grandes eventos, como na Copa das Confederações e Jornada Mundial da Juventude, em 2013 e na Copa do Mundo, em 2014.

¹com EBC / Lígia Souto



Outras coberturas especiais


UNODC

UNODC

Última atualização 19 SET, 12:30

MAIS LIDAS

Eventos