COBERTURA ESPECIAL - Eventos - Inteligência

20 de Janeiro, 2016 - 09:00 ( Brasília )

SEGURANÇA RIO 2016 - Estamos Prontos afirma SESGE

Segurança nos Jogos Rio 2016: Brasil está pronto para sediar o maior evento do mundo. É o que afirma Andri Rodrigues, Secretário Extraordinário de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça



Faltando 200 dias para a Cerimônia de Abertura dos Jogos Rio 2016, a integração das forças de segurança, o combate ao terrorismo, reforço em fronteiras e cooperação internacional são bases do trabalho do governo para proteger evento.

De acordo com Andrei Rodrigues, Secretário Extraordinário de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça e responsável pelo planejamento de segurança dos Jogos Rio 2016, são muitos os desafios para garantir a segurança dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, maior evento esportivo da história, com cerca de 15 mil atletas representando 206 países, mais de um milhão de turistas e ação concentrada principalmente em uma cidade.

Certos aspectos, porém, recebem atenção especial do governo brasileiro, "Implementamos o Centro Integrado Antiterrorismo, ambiente especifico de polícia, de segurança pública e de inteligência, para ampliar o intercâmbio de informações, treinamentos e aprendizado. Policiais de vários países estão colaborando conosco. A cooperação mútua entre países é fundamental”, conforme revela o secretário.Com esse pensamento, em 2015, o Brasil enviou ao exterior dezenas de policiais para conhecer as melhores práticas em grandes eventos internacionais. A lista incluiu maratonas de Boston e de Berlim, o Mundial de Atletismo, na China, os Jogos Europeus Baku 2015, o Tour de France e também a Assembleia Geral da ONU.

A segurança dos Jogos Rio 2016 conta com 47 mil profissionais que trabalharão intensamente nos meses de agosto e setembro, durante os Jogos. Andrei Rodrigues afirma ter plena confiança de que o Rio de Janeiro continuará fora da rota dos atentados terroristas. “O Brasil está preparado. Recebemos uma sequência de eventos que não aconteceu em nenhum outro lugar, o que nos permitiu avançar e amadurecer a cada etapa cumprida”, destacou.

A visão do governo brasileiro envolve também esforços para tornar o Rio de Janeiro mais seguro não apenas nas áreas das instalações Olímpicas e suas adjacências. "Não podemos pensar em realizar os Jogos se a cidade como um todo não tiver segurança", diz Rodrigues.        

Com os holofotes do mundo voltados para o Rio, o secretário promete estar atento também a outras regiões do país (e não apenas às cidades-sede do futebol). “Provavelmente haverá um aumento no turismo em outros locais. Os Jogos vão significar reforço na segurança nacional como um todo”, garante.

E para proporcionar a segurança, tranquilidade e sucesso de todos os Jogos Rio2016, a Secretaria Extraordinária de Segurança em Grandes Eventos do Ministério da Justiça (SESGE/MJ) conta com a parceria de diversas instituições das três esferas públicas (Federal, Estadual e Municipal) e também com a cooperação internacional de segurança pública, que visou ações de capacitação e treinamento, bem como a troca de experiências entre os países.“Ninguém consegue fazer um evento de porte dos Jogos Olímpicos de maneira isolada. Nosso objetivo é ampliar o quanto possível nossas relações, nossas parcerias, nossas trocas de informações, para que possamos ter um ambiente realmente muito seguro”, explica Andrei Rodrigues.

Um contingente estimado em mais de 85 mil profissionais – sendo 47 mil de segurança pública, defesa civil e ordenamento urbano, e 38 mil das Forças Armadas – está sendo preparado para garantir a segurança no maior evento esportivo já realizado na América do Sul. A experiência de sucesso na Copa das Confederações, na Rio+20, na Jornada Mundial da Juventude e na Copa do Mundo, aliada aos investimentos em equipamentos, tecnologia e capacitação dos agentes de segurança, permite afirmar que o Brasil está preparado para o novo desafio.

A articulação entre as instituições de Segurança, Defesa e Inteligência criou o Plano Estratégico que servirá como diretriz para o planejamento das ações definidas pela Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para os Jogos Rio 2016 (COESRIO2016), que define os parâmetros da atuação coordenada e integrada dos órgãos federais, estaduais e municipais de segurança pública e de defesa civil, bem como de outras entidades relacionadas.

Conheça o papel de algumas entidades federais envolvidas na segurança das Olimpíadas e Paralímpiadas:

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

As ações da SESGE/MJ para os Jogos Rio 2016 compreendem planejamento, coordenação, controle e avaliação das operações de segurança e defesa civil. Os investimentos não são apenas para os grandes eventos, mas serão legados para o cotidiano da segurança. Para os jogos Rio 2016 o Ministério da Justiça está investindo R$350 milhões em segurança para os eventos, que estão sendo empregados na aquisição de equipamentos de proteção individual, ferramentas de treinamento, ações

antiterrorismo, capacitação de policiais, bombeiros e guardas municipais, ampliação do sistema de monitoramento, aprimoramento de comando e controle, bem como na melhoria da estrutura das forças de segurança e defesa civil. Durante os Jogos, a segurança de todos os locais de competição será de responsabilidade da Força Nacional de Segurança Pública.

FORÇA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA (FSNP)

Com cooperação federativa e coordenado pelo Ministério da Justiça, a Força Nacional é um programa para prestar auxílio de segurança pública em qualquer ponto do país, com apoio de efetivo dos 26 estados e do Distrito Federal. Cerca de 9,6 mil profissionais atuarão para garantir a segurança do público nas instalações dos Jogos Rio2016. Atualmente são mais de 40 operações em apoio à segurança pública em 15 estados e DF. Dentre as ações, estão a intensificação de policiamento, investigações e perícia em áreas críticas, combate ao desmatamento na Amazônia, reforço ao patrulhamento na fronteira, ações de guarda-vidas e defesa civil. O efetivo também já participou da segurança de grandes eventos esportivos como a Copa do Mundo 2014, Copa das Confederações 2013 e Jogos Pan-Americanos 2007.

POLÍCIA FEDERAL (PF)

A Polícia Federal realiza treinamentos e capacitações em cursos de Contraterrorismo e de Antiterrorismo, Segurança de Portos Marítimos, Controle de Qualidade de Aviação Civil e Segurança Aeroportuária, Reconhecimento de Documentos Fraudulentos, Comando e Controle, Identificação de Vítimas de Desastres e Segurança de Dignitários, entre outros. A força de trabalho da PF deve envolver 3,5 mil servidores, um acréscimo de 350% em relação à Copa do Mundo 2014, durante os Jogos no Rio de Janeiro. As equipes envolvidas desempenharão funções como: Comando e Controle, Controle Migratório, Segurança Aeroportuária, Inteligência, Controle de Segurança Privada, Segurança de Dignitários, Polícia Marítima, Vistorias e Contramedidas, e Operações Especiais.

POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL (PRF)

A Polícia Rodoviária Federal contará com 2 mil profissionais, que atuarão em ações de educação e fiscalização de trânsito e na prevenção e repressão de ações criminosas. Também intensificará a segurança no eixo rodoviário no período dos Jogos, formando cinturões de policiamento nas divisas do estado e na Região Metropolitana do Rio. Policiais Rodoviários especializados em serviço de batedor motociclista também farão a segurança de dignitários e a escolta esportiva de atletas.



Nota DefesaNet

A Segurança dos Jogos Olímpicos Rio 2016 está dividida em forma tripartite;

- Ministério da Justiça - Coordenada pela SESGE , com os órgãos: Polícia Federal, Força Nacional e Polícia Rodoviária Federal;

- Ministério da Defesa - Coordenando as Forças Militares, e,

- Governo Estadual com as Forças Estaduais de Segurança: polícia Civil e Polícia Militar.


O Editor



Outras coberturas especiais


Especial Espaço

Especial Espaço

Última atualização 24 NOV, 15:00

MAIS LIDAS

Eventos