COBERTURA ESPECIAL - Eventos - Defesa

26 de Junho, 2014 - 10:20 ( Brasília )

CCDA/Cuiabá - Exército fecha ação de defesa da Copa

A 13ª Brigada de Infantaria Motorizada informou que as atividades atinente à Copa estão concluídas e tropas voltara às suas sedes

YURI RAMIRES
Diário de Cuibá


Após 34 dias atuando em Cuiabá, a Força Aérea Brasileira (FAB) encerraram ontem os trabalhos atinentes à defesa durante a Copa do Mundo. A 13º Brigada de Infantaria Motorizada informou que o Centro de Coordenação de Defesa de Área de Cuiabá (CCDA/Cuiabá) encerrou as atividades conforme o planejamento e as tropas voltam para suas sedes com o dever cumprido e satisfeitos com a atuação.

Ao todo, 1600 homens da Marinha do Brasil, Exército e Força Aérea estiveram presentes na cidade durante o período, que foi desde treinamentos até a operação de características especiais previstas, como defesa aeroespacial, controle do espaço aéreo, proteção de estruturas estratégicas, defesa marítima, combate e prevenção ao terrorismo e outros.

Para que os objetivos de defesa fossem alcançados, 64 rotas protocolares foram realizadas, 36 escoltas contando com 32 motociclistas, vôos com aeronaves militares e a segurança de 9 instalações ligadas a serviços essenciais e indispensáveis à realização dos jogos em Cuiabá.

Na avaliação do General da 13º Brigada, José Carlos Braga de Avellar, o número do efetivo na cidade foi menor que nas demais sedes devido o bom histórico de conduta da população. A missão da FAB terminou sem nenhuma ocorrência na qual se fizesse necessária a intervenção.

Porém, o general reafirmou que a tropa estava preparada para qualquer situação limite, e destacou a integração entre as FAB e a área de segurança pública. “Houve um preparo antecipado, individual e coletivo. Isso tornou muito fácil a operação, além de plena de ensinamentos”, explicou.

Com o fim da missão, Avellar avaliou como positiva a participação das Forças Armadas em Cuiabá. Além disso, ele ressaltou que a postura da população fez a diferença. “Se mostrou ordeira e respeitosa. Deu um show de cidadania e brilhou junto com o evento”, disse.

No começo, a população estranhou a quantidade de homens e veículos do Exército trafegando pelas ruas da cidade. Dezenas de fotos foram compartilhadas nas redes sociais questionando tamanha preparação. O General Avellar ressaltou que a presença das FAB é uma determinação da Fifa.

Nesses 34 dias, além dos 1.600 homens na tropa, seis viaturas blindadas Urutu, 32 motocicletas, quatro helicópteros e cerca de 250 viaturas como, caminhões e veículos leves, foram vistos em ação. A maior concentração dos militares foi notada nas proximidades da Arena Pantanal, dos hotéis que abrigavam os jogadores e no Aeroporto Marechal Rondon.



Outras coberturas especiais


Crise Militar

Crise Militar

Última atualização 20 SET, 11:00

MAIS LIDAS

Eventos