COBERTURA ESPECIAL - Eventos - Defesa

11 de Junho, 2014 - 09:35 ( Brasília )

Brasil está pronto para garantir segurança do Mundial, diz chefe do Estado-Maior Conjunto


Os turistas estrangeiros podem vir ao Brasil, pois encontrarão cidades seguras e preparadas para acolhê-los. O convite foi feito pelo chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), general José Carlos De Nardi, em entrevista coletiva para jornalistas brasileiros e estrangeiros, realizada nesta terça-feira (10) no Centro Aberto de Mídia (CAM), montado pelo Governo Federal no Forte de Copacabana.

Para o general De Nardi, que está à frente do planejamento de emprego das Forças Armadas na segurança da Copa 2014, com menos de dois dias para o início do evento, o momento é de dar continuidade ao que vem sendo preparado desde 2007, quando o país foi escolhido para sediar o Mundial.

Segurança e Defesa

O plano de segurança e defesa para o Mundial de futebol trouxe ao auditório do Forte de Copacabana jornalistas nacionais e estrangeiros. O local, que abriga provisoriamente o CAM – estrutura montada pelo Governo para apoiar os profissionais de imprensa que atuam na capital fluminense –, foi palco da coletiva.

Além do general De Nardi; participaram do evento o secretário Extraordinário de Segurança para Grandes Eventos, Andrei Rodrigues; o coordenador de segurança do COL/Fifa, Hilário Medeiros; o diretor adjunto da ABIN, Ronaldo Belhan, e o consultor de segurança da FIFA, Andre Pruis.

Em sua primeira intervenção na coletiva, o chefe do EMCFA, órgão ligado ao Ministério da Defesa, explicou o modelo de governança do plano de segurança e os eixos de atuação das Forças Armadas. Segundo o general De Nardi, existem centros de decisão nos âmbitos nacional e local. Cabe aos Ministérios da Defesa, Justiça e Casa Civil o desenrolar do plano na esfera federal.

“Nas cidades-sede, temos o CESIR (Comitê Executivo de Segurança Integrada Regional). É esse comitê que decide todas as questões nas cidades. Dependendo do problema, eles podem escalar o comitê nacional”, explicou o general.

África do Sul

Consultor da FIFA, o ex-comissário de polícia Andre Pruis tem sido referência para a equipe brasileira. Foi ele quem comandou o plano de segurança da Copa do Mundo 2010, na África do Sul. Segundo ele, o Brasil tem três vezes mais seguranças do que o empregado naquele país africano durante o Mundial.

“Vocês terão um efetivo adequado. O Brasil está implementando um plano de segurança que pode servir de modelo no futuro”, assegurou.
Para o chefe da Sesge, Andrei Rodrigues, além do plano de segurança das Forças Armadas e da segurança pública, o Brasil está recebendo nesse período cerca de 200 policiais estrangeiros que terão participação secundária. Esse efetivo representa cerca de 40 países que estão aqui para auxiliar com informações, por exemplo, de detalhes de torcedores estrangeiros.

O diretor da ABIN informou o trabalho de intercâmbio com os setores de inteligência mundial. Já Hilário Medeiros disse que os integrantes do COL/FIFA estão tranquilos com relação à Copa do Mundo.

Nesse ponto, o general De Nardi enfatizou que o grande teste será o jogo de abertura, nesta quinta-feira, entre Brasil e Croácia. “Tudo irá transcorrer bem. Assim, teremos uma das melhoras Copas: a Copa das Copas”, finalizou.



Outras coberturas especiais


UNODC

UNODC

Última atualização 19 SET, 12:30

MAIS LIDAS

Eventos