COBERTURA ESPECIAL - Eventos - Inteligência

15 de Setembro, 2013 - 19:12 ( Brasília )

COPA - Cidades brasileiras rejeitam hospedar seleção Americana



BERNARDO ITRI
DO PAINEL FC

MARCEL RIZZO
DE SÃO PAULO

 

Classificada para a Copa-2014, a seleção dos EUA fará sua preparação para o torneio no Brasil, o que certamente atrairá turistas e jornalistas. Nem assim sua estadia é vista com bons olhos por algumas cidades.

Consideram ruim o custo-benefício de receber a delegação norte-americana, dado o enorme aparato de segurança que o grupo exigirá.

"Já ouvi várias vezes que a presença dos EUA vai demandar uma segurança reforçada. E trazer uma seleção que é só tensão não faz a razão de ser sede", argumenta Ney Campello, chefe da Secretaria da Copa na Bahia, Estado que foi visitado por representantes da seleção dos EUA em busca de um local adequado para a preparação.
Eles estiveram em um resort na praia do Forte, no município de Mata de São João.

A Folha apurou que em outras cidades, como Belo Horizonte, o temor também é grande. Principalmente porque o município anfitrião dos EUA terá que fazer um isolamento das áreas ao redor do hotel e do centro de treinamento maior do que o previsto para as outras seleções.

Além disso, terá que oferecer instalações sofisticadas de tecnologia e de saúde.

EUA preveem que a seleção do país requisite hospitais preparados para atender casos de atentados e ainda laboratórios equipados para investigar as ameaças QBRN (Químicas, Biológicas, Radiológicas e Nucleares), sigla usada pelas forças militares.

Fora o aparato que deve ser fornecido pela sede que abrigar os EUA, o governo brasileiro espera que a própria delegação norte-americana traga equipamentos para se prevenir de ameaças terroristas.

ISOLAMENTO

Embora já tenha visitado mais de dez centros de treinamento no país, a delegação dos EUA ainda não definiu onde ficará. Mas sabe como deve ser o local onde os jogadores serão abrigados.

O grupo já sinalizou que pretende ficar isolado. O objetivo é se hospedar em um resort, cujo espaço permita montar uma estrutura arrojada de segurança, além, é claro, de campo para treinar.

Os EUA também querem acesso rápido a aeroportos, para facilitar o deslocamento nos dias das partidas.

Os centros de treinamento paulistas demonstram interesse em receber os EUA nas semanas que antecedem a Copa, já que consideram possuir as condições exigidas pela delegação do país.

"São Paulo tem todo o interesse em receber os EUA, vai movimentar a economia", diz Raquel Verdenacci, secretária-executiva do Comitê Paulista da Copa.

Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, é uma das favoritas para a escolha: foi visitada duas vezes pelos EUA.

"Tenho certeza de que toda a segurança necessária será feita. Não haverá caos na cidade porque o resort é afastado da zona urbana", afirma o prefeito de Mogi das Cruzes, Marco Bertaiolli (PSD).

O prefeito se refere ao resort Paradise, que fica a 13 km do centro da cidade.

A reportagem procurou a Federação Norte-Americana de Futebol, mas não havia recebido resposta até a conclusão desta edição.

     
 


Outras coberturas especiais


Pacífico

Pacífico

Última atualização 21 NOV, 11:50

MAIS LIDAS

Eventos