COBERTURA ESPECIAL - Embraer

26 de Fevereiro, 2014 - 12:00 ( Brasília )

EMBRAER - Resultados Balanço e Área Defesa




EMBRAER DIVULGA RESULTADOS DO 4º TRIMESTRE,
DO ANO DE 2013 E ESTIMATIVAS PARA 2014



DESTAQUES

- A Companhia atingiu todas suas principais estimativas para 2013, como entregas de aeronaves, Receita líquida, Margens operacionais (EBIT1) e EBITDA², mesmo excluindo-se alguns itens não recorrentes que impactaram positivamente o 4º trimestre de 2013 (4T13);

- No 4T13, a Embraer entregou 32 aeronaves comerciais e 53 aeronaves executivas (38 jatos leves e 15 jatos grandes), encerrando o ano com um total de 90 aeronaves comerciais e 119 executivas (90 jatos leves e 29 jatos grandes) entregues;

- Como resultado das entregas de aeronaves e do crescimento do negócio de Defesa & Segurança, a Receita líquida atingiu R$ 5.295,7 milhões no 4T13 e R$ 13.635,8 milhões no ano, atingindo as estimativas da Companhia para o ano;

- As margens EBIT e EBITDA atingiram 20,2% e 23,7%, respectivamente, no 4T13, e no ano ficaram em 11,8% e 16,4% respectivamente, considerando alguns itens não recorrentes do 4T13. Como resultado, a Companhia superou suas estimativas anuais de margens operacional e EBITDA, de 9,0% a 9,5% e de 13,0% a 14,0% respectivamente;

- O forte fluxo de caixa operacional de R$ 1.354,5 milhões durante 2013 aumentou a posição de caixa líquido da Companhia, que atingiu R$ 1.005,5 milhões ao final do ano;

- No 4T13 a Embraer apresentou Lucro líquido de R$ 607,2 milhões e Lucro por ação de R$ 0,8329. No ano, o Lucro líquido total foi de R$ 777,7 milhões e o Lucro por ação ficou em R$ 1,0668;

- Em 2014, a estimativa da Companhia é de atingir Receita líquida de US$ 6,0 a US$ 6,5 bilhões, impulsionada pelo crescimento no segmento de Defesa & Segurança e pelas entregas estimadas de 92 a 97 jatos na Aviação Comercial, de 25 a 30 jatos grandes e de 80 a 90 jatos leves na Aviação Executiva;

- A carteira de pedidos firmes (backlog) aumentou para US$ 18,2 bilhões, atingindo 46% de crescimento se comparada aos US$ 12,5 bilhões ao final de 2012.


 

Receita por Segmento
(Milhões de Reais)

 

Receita Líquida por Segmento

Acum

2012

%

Acum

2013

%
Aviação Comercial 7.371,3 60,5 7.186,4 52,7
Defesa & Segurança 2.059,5 16,9 2.601,0 19,1
Aviação Executiva 2.601,9 21,4 3.658,7 26,8
Outros 147,8 1,2 189,7 1,4
Total 12.180,5 100,0 13.635,8 100,0


DEFESA & SEGURANÇA
 

O mercado de defesa e segurança continua a apresentar um cenário favorável para o crescimento, com uma série de campanhas em curso para várias aplicações, incluindo o transporte de autoridades, treinamento e ataque leve, sistemas de inteligência, vigilância e reconhecimento, sensoriamento remoto e monitoramento, modernização de aeronaves, transporte militar, sistemas de comando e controle, e serviços. A Embraer lidera projetos importantes no Brasil, tais como o desenvolvimento do jato de transporte militar tático KC-390 e o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON).

A Embraer Defesa & Segurança finalizou a adequação do hangar da planta de Jacksonville e os materiais para a montagem da primeira aeronave Super Tucano para o programa LAS (Light Air Support, ou Apoio Aéreo Leve), da Força Aérea dos Estados Unidos, começaram a chegar para início das atividades produtivas em fevereiro de 2014. A fábrica já conta com efetivo necessário para o início da produção de acordo com o cronograma previsto originalmente, com início das primeiras entregas em meados de 2014. Em dezembro foi realizado o translado para Angola das últimas três aeronaves Super Tucano. O processo produtivo das próximas entregas está dentro do cronograma contratado.

Com relação aos programas de modernização de aeronaves, a Embraer Defesa & Segurança concluiu, em dezembro, a modernização da segunda aeronave de série do programa A-1M, da Força Aérea Brasileira (FAB), e realizou o primeiro voo do protótipo biposto, que inicia a campanha de ensaios em 2014. O programa A-1M prevê a revitalização e a modernização de 43 jatos subsônicos AMX, 23 dos quais já se encontram nas instalações da Empresa. Quanto ao programa de modernização de 11 caças F-5, também da FAB, a Embraer já conta com sete aeronaves recebidas (NOTA DefesaNet - Importante ler o artigo DEFESA – Cortes Orçamentários criam pânico na Base Industrial de Defesa Link) .

O Programa AF-1M, de modernização de 12 caças AF-1 (A-4 Skyhawk) para a Marinha do Brasil, continua sua execução conforme previsto. Seis aeronaves já se encontram nas dependências da Embraer, em Gavião Peixoto e, ao final do quarto trimestre, teve início a campanha de ensaios em voo do primeiro protótipo. As primeiras aeronaves modernizadas serão entregues em 2014.

No segmento de Tráfego Aéreo, a ATECH realizou a aceitação em campo (SAT) de sistemas estratégicos como o SIGMA e versões do SAGITARIO em diversas regiões do país e assinou um novo contrato para implantação do sistema SAGITARIO em 19 APPs, cujo valor contratual adicionou um montante de R$ 83,4 milhões à sua carteira de pedidos (backlog).

A BRADAR Indústria S/A fechou 2013 com um resultado significativo, apresentando lucro operacional relevante e uma valorização do negócio acima do esperado. Na área de defesa, a BRADAR entregou mais 4 radares de vigilância a baixa altura Saber M60 para a FAB e, com isso, possui hoje 22 radares operacionais nas Forças Armadas brasileiras. Também fechou contrato de fornecimento de uma unidade do radar Sentir M20 para o Exército Brasileiro. Na área de Sensoriamento Remoto, a BRADAR concluiu, no mês de dezembro, o mapeamento cartográfico de todo o Panamá e também do departamento de Cundinamarca, na Colômbia. A Bradar também renovou o contrato de monitoramento da Usina Hidroelétrica de Santo Antônio, no rio Madeira em Porto Velho (RO), e foi contratada pela Mineradora Rio do Norte S.A. para novo mapeamento cartográfico.

A VISIONA Tecnologia Espacial S.A. – uma joint-venture entre a Embraer S.A. e a Telecomunicações Brasileiras S.A. (Telebras) – assinou em novembro de 2013 o contrato para desenvolvimento e integração do sistema SGDC (Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações estratégicas) com a Telebras, com valor total aproximado de 1,3 bilhão de Reais. Em dezembro de 2013, foram assinados os contratos com os fornecedores do satélite e do lançamento.

INVESTIGAÇÕES DA SEC/DOJ

Em setembro de 2010, recebemos intimação (subpoena) da Securities and Exchange Commission (SEC) com pedido de informações a respeito de certas transações relativas à venda de aeronaves no exterior. Em resposta à intimação da SEC e outros pedidos de informações relacionadas à possibilidade de não conformidade com o U.S. Foreign Corrupt Practices Act (FCPA), a Companhia contratou advogados externos para realizar investigação interna em operações realizadas em três países específicos.

Posteriormente, em função de informações adicionais, a Companhia voluntariamente expandiu o escopo da investigação interna para vendas em países adicionais e reportou sobre esses fatos à SEC e ao U.S. Department of Justice (DoJ). A investigação interna e procedimentos governamentais relativos a esses assuntos permanecem em andamento. A Companhia continuará atuando em relação a informações adicionais e cooperará com a SEC, o DoJ e outras autoridades competentes, conforme as circunstâncias requeiram.

A Companhia, com o suporte de seus advogados externos, concluiu que, em 31 de dezembro de 2013, ainda não é possível estimar a duração, o escopo ou os resultados da investigação interna ou de procedimentos relacionados, conduzidos pelas autoridades pertinentes. Caso as autoridades tomem medidas contra a Companhia em relação a esses ou quaisquer outros casos relacionados que possam surgir no futuro, ou caso celebremos um acordo, podemos ser obrigados a pagar multas substanciais e/ou incorrer em outras sanções ou responsabilidades. A Companhia, com base no parecer dos advogados externos, acredita que, em 31 de dezembro de 2013, não existe base para estimar provisões ou quantificar possíveis contingências.


ESTIMATIVAS 2014: RECEITA LÍQUIDA, MARGENS E INVESTIMENTOS

Durante 2013, o mercado de aviação comercial mostrou sinais contínuos de recuperação, especialmente no mercado norte-americano, permitindo que a Companhia aproveitasse o aumento de demanda por jatos regionais de 76 assentos e acumulasse parte significativa destes novos pedidos. No mercado de jatos executivos, apesar dos níveis recordes de lucros das empresas e do número de indivíduos com alto patrimônio líquido, o estoque e os preços de aeronaves usadas ainda pressionam a demanda por aeronaves novas, impactando uma recuperação que ainda não se concretizou plenamente.

Diante disso, a Embraer espera que as receitas e entregas de 2014 dos segmentos de Aviação Comercial e Executiva quando comparadas a 2013. Com relação ao segmento de Defesa & Segurança, a Companhia espera crescimento contínuo de dois dígitos na receita de 2014, na medida em que a Empresa avança na execução dos programas existentes, incluindo o KC-390, o sistema de monitoramento de fronteiras (SISFRON) e o
programa Super Tucano LAS, bem como o programa do satélite.

Tendo em vista o cenário descrito acima, em 2014 a Embraer espera entregar 92 a 97 jatos comerciais, 80 a 90 jatos executivos leves e 25 a 30 jatos executivos grandes. A Receita líquida total deverá ficar entre US$ 6,0 e US$ 6,5 bilhões, com a seguinte contribuição aproximada de cada segmento de negócio: 53% da Aviação Comercial; 26% da Aviação Executiva; 20% da Defesa & Segurança e 1% de Outros negócios.



2014 - Estimativa de Receita Líquida
(US$ Bilhões)

Aviação Comercial $3,20 $3,40
Aviação Executiva $1,50 $1,70
Defesa & Segurança $1,20 $1,30
Outros $0,10 - $0,10
EMBRAER  $6,00 $6,50



Em 2014, a Companhia espera entregar uma quantidade maior de E-Jets E175 no segmento de Aviação Comercial, o que resultará em um mix de produtos menos favorável no que se refere às margens que, no entanto, serão parcialmente compensadas pelas iniciativas de produtividade em curso, bem como por uma taxa de câmbio esperada mais favorável em relação a 2013. Além disso, o aumento de participação da receita do segmento de Defesa & Segurança, juntamente com uma melhoria da margem prevista para o segmento de Aviação Executiva, devem também compensar em parte o declínio da margem esperada no segmento de Aviação Comercial. Como resultado, em 2014 a Empresa espera alcançar uma Margem EBIT consolidada de 9,0% a 9,5% (de US$ 540 milhões a US$ 620 milhões) e uma Margem EBITDA de 13,0% a 14,0% (de US$ 780 milhões a US$ 910 milhões).

Com o aumento das atividades relacionadas ao desenvolvimento do programa E-Jets E2, finalização do desenvolvimento do jato executivo Legacy 500 e a aproximação da conclusão do desenvolvimento do jato executivo Legacy 450, a Embraer espera que os investimentos totais alcancem US$ 650 milhões em 2014.

Desse total, Pesquisa representará US$ 80 milhões, Desenvolvimento de produto representará US$ 320 milhões e CAPEX será de US$ 250 milhões.

Como resultado das estimativas de receita, lucro operacional e investimentos, assim como outros fatores, a Companhia espera que em 2014 seu Fluxo de Caixa livre seja levemente positivo em dois dígitos.

Essas estimativas são baseadas em suposições que estão sujeitas a vários fatores, muitos dos quais não estão e nem estarão sob o controle da Companhia.


Clique no link abaixo para acessar o arquivo na íntegra

http://tinyurl.com/lbp2782