COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Aviação

23 de Novembro, 2012 - 20:05 ( Brasília )

Mensagem de pombo-correio da 2ª Guerra desafia inteligência britânica


Gustavo Nardon
Agência Defesanet


Os serviços secretos britânicos pediram ajuda à população nesta sexta-feira para tentar decifrar uma mensagem codificada que foi encontrada atada aos restos de um pombo-correio da Segunda Guerra Mundial e que, após semanas de estudo, continua "indecifrável", informou nesta sexta-feira a emissora BBC. A mensagem repleta de códigos, que estava dentro de um tubo vermelho fixo na pata do animal morto, foi encontrada na chaminé de uma casa em Surrey, no sul da Inglaterra, pelo próprio morador do imóvel.

No pequeno pedaço papel, sob o título "serviço de pomba", havia 27 códigos escritos à mão. Desde esse descobrimento, que veio à tona há um mês, o serviço de inteligência dos serviços secretos, mais conhecido pelas suas iniciais em inglês GCHQ, segue sem decifrar esses códigos e, por isso, pede ajuda à população para resolver esse verdadeiro quebra-cabeça.

Um historiador deste departamento, que preferiu não revelar seu nome, disse à BBC que tudo indica que a mensagem foi escrita durante a Segunda Guerra Mundial (1939-45), fato que pode justificar a complexidade para decifrá-la. "Esse tipo de código era criado para ser usado em operações, foram desenhados para que só pudessem ser entendidas pelos emissores e pelos receptores do conteúdo", explicou o historiador. Por conta deste fato, a mesma fonte assegurou que, se não tiverem "uma ideia de quem mandou a mensagem e a quem estava sendo dirigida", possivelmente não conseguirão averiguar "o que se esconde atrás dos números".

Além desta opção de decodificação entre dois indivíduos, que tornaria essa mensagem indecifrável, os analistas trabalham com outra possibilidade. Neste caso, os códigos estariam relacionados a um livro de senhas utilizado na época para uma missão concreta, o qual, provavelmente, poderia estar destruído agora.


Código secreto


A mensagem achada na cápsula está cifrada. Há apenas 27 sequências de cinco letras escritas a mão, como "HYPKD" e "DJHFP" e uma assinatura: "Sargento W. Stot".

Uma associação britânica dedicada à proteção de pombos especula que o animal talvez tenha se perdido no trajeto, devido ao mau tempo, ou cansado da longa viagem pelo Canal da Mancha.

Especialistas acreditam que o pombo estava a caminho de Bletchley Park, a cerca de 130 km da casa de David Martin, onde havia uma base especial de operações da SOE. O ponto de partida teria sido a França, no ano de 1944.


Entre as teorias sobre sua origem, alguns analistas apontam que a mensagem poderia estar relacionada ao chamado "Dia D", um dos dias decisivos da Segunda Guerra Mundial, quando os aliados desembarcaram na costa francesa de Normandia. Durante o conflito bélico, mais de 250 mil pombos-correios foram usados no Reino Unido, cada uma delas com um número de identificação único para cada mensagem que levavam. No entanto, neste último caso, os analistas encontraram até duas séries de números - NURP.40.TW.194 e NURP.37.OK.76 - e, por isso, também desconhecem a qual deles esta pomba corresponde.  (EFE/BBC)