COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Defesa

06 de Agosto, 2012 - 12:20 ( Brasília )

Estrela de Davi no Monumento aos Mortos da II GM

Estrela de David Inaugurada no Monumento aos Pracinhas com Tocante Mensagem do Ministro da Defesa Embaixador Celso Amorim

Prof. Israel Blajberg
Diretor de Cidadania – FIERJ
iblaj@telecom.uff.br



Domingo, 5 de agosto de 2012.  A data de hoje revestiu-se de  relevante significado para a memória da participação nacional na Segunda Guerra Mundial, com a inauguração pelo Ministro da Defesa, Embaixador Celso Amorim, da Estrela de David no Monumento aos Pracinhas, trazendo  tocante Mensagem que sensibilizou o grande publico presente ao Mausoléu do Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, no Parque do Flamengo, Rio de Janeiro. Foi um ato breve e singelo, mas altamente significativo, recordando o ano de 1942, quando navios brasileiros foram torpedeados o que motivou a entrada do Brasil na guerra.

Dentre o numeroso publico presente encontravam-se destacados militares, como o Almirante de Esquadra Gilberto Max Roffé Hirschfeld, Comandante de Operações Navais, General de Exercito Tulio Cherem, Comandante da Escola Superior de Guerra, General de Exército Adriano Pereira Junior, Comandante Militar do Leste – CML, General  de Exercito Ueliton José Montezano Vaz Montezano, Chefe do Departamento de Educação e Cultural do Exercito – DECEX, General de Divisão Geraldo Antônio Miotto, Chefe do Estado Maior do CML, General de Divisão ANTONIO HAMILTON MARTINS Mourão, Vice Chefe do DECEX, Gen Eduardo Jose Barbosa - Diretor do Patrimônio Histórico e Cultural do Exercito, Vice Almirante Ellis Treidler Oberg, Comandante do 1º. Distrito Naval, Major Brigadeiro Rafael Rodrigues, Comandante do 3º. Comando Aéreo Regional, General de Brigada Sergio José Pereira, Comandante da Escola de Comando e Estado Maior do Exercito – ECEME, General de Brigada Faillace, Comandante da Artilharia Divisionária da 1ª. DE, General de Brigada Fernando Vasconcellos  Pereira, Diretor de Formação e Aperfeiçoamento, Gen Luis Antônio Silva dos Santos, Diretor do Ensino Preparatório e Assistencial, Coronel Eduardo Pazuello, Assistente do DECEX, Coronel R/1 Aron Felberg, Tenente Coronel Tufic Nissan Cohen, Tenente Bianca Chigner Cramer Balassiano, do 1º. Depósito de Suprimento, Coronel R/1 Roberto Mascarenhas, neto do Marechal Mascarenhas e Moraes, Comandante da FEB e idealizador do Monumento aos Pracinhas, Coronel Gerson Gomes, Chefe de Planejamento do CML, Coronel Atílio, do CML, General de Divisão R/1 Marcio Rosendo de Melo, Presidente da Casa da FEB e 2º. Vice-Presidente do Clube Militar, General Geraldo Luiz Nery da Silva, Secretario da Ordem dos Velhos Artilheiros, Desembargador Egas Moniz Barreto de Aragão Daquer (ex-aluno do CPOR/RJ), Tenente Dalvaro Jose de Oliveira, 94, Veterano de Guerra e ex-Presidente das Casa da FEB, sobrevivente de 2 naufrágios consecutivos de navios torpedeados pelo submarino nazista U-507, Major Antônio André, 94, Veterano de Guerra e Presidente do Conselho Deliberativo da Casa da FEB, Tenente R/2 Dr Israel Rosenthal, 92,  Veterano de Guerra e Vice Presidente do Conselho Deliberativo da Casa da FEB, Tenente Coronel Capelão Militar Evangélico Ivan Xavier, Chefe do Serviço de Assistência Religiosa do Comando Militar do Leste, Coronel  Germano Américo dos Santos, Diretor do Monumento aos Pracinhas, João Mortera, da Liga de Defesa Nacional, Tenente R/2 Sergio Pinto Monteiro, Presidente do CNOR – Conselho Nacional dos Oficiais da Reserva, Capitão de Longo Curso Francisco Gondar, Vice Presidente do Clube dos capitães da Marinha Mercante, Representantes da Associação dos Integrantes do Batalhão Suez, Representação da Federação Nacional dos Integrantes das Forças de Paz e FAIBRAS – Forças de Paz na Republica Dominicana, Veterano de Guerra Tenente da Marinha Melchisedec Affonso de Carvalho, Diretor Secretario da Associação dos Ex-Combatentes do Brasil, Inspetor Idnei Teixeira, representando o Comandante Geral da Guarda Municipal – RIO.

A Estrela está instalada no Mausoléu do subsolo que abriga os túmulos de 467 soldados que tombaram na Itália em 1944/45, e os nomes gravados no mármore  de mais de 1400 civis e militares desaparecidos no mar, em consequência da blitz submarina que atingiu 33 navios mercantes nacionais. Apenas em agosto de 1942 seis navios foram torpedeados em quatro dias,  desaparecendo no mar 600 patrícios inocentes, quando diante do clamor popular, em 31 de agosto de 1942 o Governo  Vargas reconheceu o estado de beligerância com as Potências do Eixo.

O projeto foi uma realização da Diretoria de Cidadania da FIERJ, comandada na Gestão Sarita Schaffel (2011-2012) por Israel Blajberg, que desenvolveu a ideia em parceria com o Diretor do Monumento,  Coronel Germano Américo dos Santos, agregando a Estrela de David ao profundo ambiente de religiosidade do Mausoléu.

A iniciativa mereceu o apoio da DPHCEX - Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural do Exercito, pelo seu titular,  General de Divisão Eduardo José Barbosa.

Há exatos 52 anos, aos 5 de agosto de 1960, com a presença do Presidente da República Juscelino Kubitschek realizou-se a entrega deste Monumento ao Povo Brasileiro, na presença do seu idealizador Marechal João Baptista Mascarenhas de Moraes, inesquecível Comandante  da FEB - Força Expedicionária Brasileira.

Graças ao esforço e dedicação do Marechal, o sonho de trasladar de Pistoia os heróis imolados nos Campos de Batalha da Itália transformou-se em preciosa realidade.

Monumento pleno de significados, guarda a memória daquela historia fantástica  vivida pelos heroicos combatentes de Terra, Mar e Ar, suas linhas arrojadas o situando entre  os mais grandiosos monumentos militares do mundo – tão imponente e  marcante quanto elegante e singelo,  ajustado magnifico ao belo entorno natural do parque, e às aguas e montanhas que emolduram nossa cidade.

A placa inaugurada juntamente com a Estrela traz gravada esta mensagem:
1942 – 2012
Há setenta anos preciosas vidas brasileiras se perderam no litoral,
pela ação perversa de uma ideologia inaceitável para a Humanidade.
O mar as recebeu e conduziu para os braços do Criador, abrindo
caminhos para bravos combatentes, a lutar pela honra da Pátria
e na defesa da dignidade humana
Homenagem da
CONIB - Confederação Israelita do Brasil
FIERJ - Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro
Oito de Maio de 2012 – 67º aniversario do
Dia da Vitoria Aliada na Europa

A Estrela de Davi em metal amarelo foi idealizada pela artista plástica Ruth Kac, com 72 cm, sinal de relevante capital  simbólico por ser múltiplo de 18, cuja representação numérica hebraica forma a palavra Chai (vida). A artista guarda ainda ligação sentimental com a obra, como filha do Tenente R/2 Abrahão David Bregman (CPOR/RJ 1942), do 3º/1º. Regimento de Artilharia Anti Aérea, integrante da defesa de Natal, o Trampolim da Vitória, uma das mais  importantes bases estratégicas da época.

Assim, a partir de hoje, a Estrela de David irradiará suas bênçãos aos nossos heroicos combatentes que repousam no Monumento. Eles fizeram o sacrifício supremo no campo de batalha, para que nunca mais pudesse ressurgir a intolerância, a discriminação.

 Unido as demais Nações Aliadas, o Brasil participou da conquista da liberdade e da  democracia. Cabe a todos os brasileiros jamais olvidar esta memória de lutas e de sacrifício.