COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Geopolítica

23 de Março, 2012 - 16:00 ( Brasília )

Ecos da 2ª Guerra - China: rio drenado expõe 114 bombas intactas da guerra com Japão


Ao menos 114 bombas, obuses e projéteis da guerra da ocupação japonesa na China (1937-1945) foram encontrados intactos em pleno centro de Xangai, após ser feita pela primeira vez uma drenagem no rio Suzhou, que atravessa o centro da cidade. Conforme o jornal oficial Shanghai Daily, o material de guerra foi recuperado após o recolhimento de 1,3 milhão de metros cúbicos de lodo do leito do Suzhou, um dos dois chamados "rios mãe de Xangai", junto com o Huangpu, e que divide a cidade histórica da moderna zona de Pudong.

Enquanto algumas das bombas foram avistadas logo após serem recuperadas entre a lama, as outras só foram descobertas quando todo o lodo foi retirado. "Sabíamos que encontraríamos objetos, mas nunca imaginamos que haveria tantas bombas", comentou Yuan Yunfeng, engenheiro da Companhia de Engenharia Naval, Construção e Comunicações Número 3 da China, responsável pelas operações de dragagem.

Em um momento do processo, apareceram tão frequentemente bombas e projéteis de obuses entre a lama que, junto ao lugar onde o lodo do rio era retirado, acabou sendo instalada uma unidade policial de tratamento de bombas. É a primeira vez que o rio é dragado, pelo menos, desde que o comunismo tomou o poder na China em 1949, e junto com as bombas foram encontrados restos de escombros, dejetos industriais e sucatas acumuladas durante décadas.

Os dois meses de dragagem marcaram o fim da terceira fase de recuperação do rio, na qual foram investidos US$ 2,2 bilhões. Na primeira fase do projeto foram desalojadas das margens centenas de fábricas e outras fontes de poluição; na segunda, as orlas foram condicionadas para embelezar a paisagem, e na terceira mais de 140 navios de drenagem e transporte limparam o leito do Suzhou. Enquanto se espera que nas próximas semanas o Suzhou seja aberto ao tráfego de navios turísticos, o lodo retirado, que normalmente pode ser reutilizado como adubo, foi enviado a um depósito na zona suburbana de Laogang, próximo à costa marítima de Xangai.

O lodo do Suzhou, por sua forte poluição de mercúrio e outros metais pesados, será enterrado no depósito em Laogang. Enquanto isso, o objetivo da cidade é recuperar o rio, que antigamente marcava, ao norte, os limites de Xangai, como uma espécie de símbolo e parte da paisagem urbana da metrópole chinesa.

"Queremos que Xangai tenha seu próprio Sena", afirmou Shen Xiuping, que lidera a administração marítima local. Além das bombas, também parecem ter sido encontrados vários tesouros entre o lodo, já que muitos colecionadores de antiguidades de Xangai estiveram observando as operações de retirada da lama para recolher qualquer objeto valioso que os operários achassem.



Outras coberturas especiais


Dossiê EMBRAER

Dossiê EMBRAER

Última atualização 18 JUL, 12:00

MAIS LIDAS

Ecos - Guerras, Conflitos, Ações